Gâmbia

Geografia
País da África Ocidental. Estendendo-se por ambas as margens do rio Gâmbia, está rodeado pelo Senegal, a norte, leste e sul, e é banhado pelo oceano Atlântico, a oeste. É dos mais pequenos países de África, com uma superfície de 11 300 km2. Para além da capital, Banjul, com uma população de 36 100 habitantes (2004), destacam-se outras cidades, como Serekunda (225 500 hab.), Brikama (81 400 hab.), Bakau (74 700 hab.) e Farafenni (31 600 hab.).
É um país plano, com um litoral baixo. O rio Gâmbia permite que uma das atividades agrícolas mais importantes seja a rizicultura.
Clima
O clima é do tipo tropical seco, ou seja, com uma estação seca mais prolongada que a estação das chuvas.

Economia
A agricultura é o principal setor da economia, ocupando 3/4 da população ativa e contribuindo em mais de 1/4 para o PIB. Merecem destaque as produções de amendoim e algodão. A pesca tem vindo a desenvolver-se rapidamente, o mesmo não se podendo dizer em relação ao setor industrial, que contribui com menos de 5% para o PIB e emprega uma percentagem ainda menor. Os principais parceiros comerciais da Gâmbia são a Bélgica, a China, o Reino Unido e o Japão.
Indicador ambiental: o valor das emissões de dióxido de carbono, per capita (toneladas métricas, 1999), é de 0,2.

População
A população é de 1 641 564 habitantes (2006), o que corresponde a uma densidade populacional de 141 hab./km2. As taxas de natalidade e de mortalidade são, respetivamente, de 39,37%o e 12,25%o. A esperança média de vida é de 54,14 anos. O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,463 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,457 (2001). Estima-se que, em 2025, a população seja de 2 654 000 habitantes.
Socialmente, o país assenta em estruturas tradicionais, reflexo da presença de grupos étnicos que formam o seguinte quadro social: africanos [Mandingas (42%), Fulas (18%), Wolof (16%), Diolas (10%) e outros (5%)] e não africanos [1%]. A religião muçulmana é seguida por 95% da população, enquanto os cristãos representam 4%. A língua oficial é o inglês.

História
Com origem nas tribos Wolof, Madingas e Fulas - que se instalaram no atual território da Gâmbia por volta do século XIII -, esta ex-colónia britânica teve o seu primeiro contacto europeu com os navegadores portugueses que, no ano de 1455, atingiram o rio Gâmbia. No entanto, em 1588, Portugal vendeu os direitos comerciais sobre o rio à Inglaterra. Os Ingleses tiveram de disputá-lo depois aos Franceses, sediados no enclave de Albreda, a norte do rio Gâmbia, até 1783, data da assinatura do Tratado de Versalhes. Neste tratado ficou reconhecido o direito, quer da Inglaterra sobre o rio quer da França sobre Albreda. Mais tarde, em 1857, a França cedia Albreda aos Ingleses e, em 1889, ambos os países definiam as atuais fronteiras. A 18 de janeiro de 1965, a Gâmbia proclama a sua independência. Torna-se um membro da Commonwealth em 1970, com Sir Dawda Kairaba Jawara como primeiro presidente, reeleito para o cargo em 1982, após um golpe de Estado falhado no ano anterior. Ao mesmo tempo, a Gâmbia e o Senegal criaram uma confederação, de nome Senegâmbia, sob a qual procuraram unir as forças militares e de segurança, coordenar as políticas externa, económica e monetária e estabelecer instituições confederadas. No entanto, esta confederação seria dissolvida em 1989, na sequência das inúmeras divergências políticas verificadas entre os dois estados.
Como referenciar: Gâmbia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-15 15:05:34]. Disponível na Internet: