Garcia Redondo

Engenheiro, escritor e jornalista brasileiro, Manuel Ferreira Garcia Redondo nasceu a 7 de janeiro de 1854, no Rio de Janeiro, no Brasil.
Frequentou o curso de Humanidades pela Universidade de Coimbra, contactando com literatos portugueses e brasileiros, como Guerra Junqueiro e Gonçalves Crespo. Colaborou com o Novo Almanaque Luso-Brasileiro de Lembranças e fundou o periódico literário O Peregrino.
Em 1872, inscreveu-se na Escola Politécnica do Rio de Janeiro, onde concluiu o curso de Ciências Físicas e Matemáticas. Em 1878, foi designado engenheiro fiscal de obras na alfândega da cidade de Santos (Estado de São Paulo), onde permaneceu até 1884, altura em que se transferiu para São Paulo. Foi de sua responsabilidade o projeto do Teatro Guarani, em Santos, inaugurado em 1882. Colaborou com a imprensa brasileira, como República, Mosquito, Jornal do Comércio, Repórter, Ilustração Paulista, Revista de Engenharia, entre outras publicações. Garcia Redondo utilizou alguns pseudónimos: Um Contemporâneo; Um Plebeu; Cabrion; Pepelet; Gavarni; Nemo; Childe Harold.
Como escritor, escreveu algumas obras literárias, tais como Arminhos (1882), Mário (1882), O Dedo de Deus (1883), Viagens pelo País da Ternura (1907) e Cara Alegre (1912).
Garcia Redondo, membro fundador da Academia Brasileira de Letras, faleceu a 6 de outubro de 1916, em São Paulo.
Como referenciar: Garcia Redondo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 01:24:34]. Disponível na Internet: