Genesis

Grupo rock fundado em Inglaterra por Peter Gabriel (n. 13-05-50, Londres, Inglaterra), Tony Banks (n. 27-03-51, East Heathly, Inglaterra), Anthony Phillips e Michael Rutherford (n. 02-10-50, Inglaterra). Em 1970 entraram para o grupo Phil Collins (n. 31-01-51, Londres, Inglaterra), na bateria e Steve Hackett (n. 12-02-50, Londres, Inglaterra), na guitarra.
Os primeiros álbuns não obtiveram grande sucesso comercial: From Genesis to Revelation (1969), Trespass (1970) e Nursery Cryme (1971). Os trabalhos seguintes teriam melhor sorte: Foxtrot (1972), Selling England by the Pound (1973) e The Lamb Lies Down on Broadway (1974). Estes álbuns produziram temas que se tornariam clássicos do grupo: "The Knife", "Fountain of Salmacis", "Supper's Ready", "Watcher of The Skies" e "I Know What I Like". O grupo assumiu a exploração de um estilo épico nas suas composições, que definiram o chamado "rock progressivo". Além disso, os Genesis eram uma referência no que diz respeito a atuações ao vivo, sendo célebre o recurso a máscaras, maquilhagem e outros artifícios para dinamização dos espetáculos. A forma como as atuações eram seguidas motivou a edição de Genesis Live (1973).
The Lamb Lies Down On Broadway foi o último trabalho com o vocalista Peter Gabriel. Com a sua saída, em 1975, temeu-se pelo futuro do grupo, que tinha no vocalista a sua força criativa, concentrando as atenções dos media pela sua presença teatral em palco e pelo grande aparato visual. Contra todas as expectativas, e com Phil Collins a assumir a função de vocalista, o grupo prosseguiu a sua carreira com dois álbuns bem aceites: A Trick Of The Tail (1976) e Wind And Wuthering (1976). Editaram o registo ao vivo Seconds Out (1977), gravado em Paris. Em 1977 saiu Steve Hackett. O grupo continuou com Collins, Rutherford e Banks, apoiados por colaboradores esporádicos. O sucesso do grupo aumentou com os álbuns And Then There Were Three (1978), Duke (1980), Abacab (1981) e o homónimo Genesis (1983). Estes quatro álbuns produziram êxitos como "Follow You, Follow Me", "Misunderstanding", "Abacab", "Mama", "That's All" e "Illegal Alien". A "era Phil Collins" marcou o afastamento definitivo do art-rock que caracterizou a "era Peter Gabriel". Com o êxito de Invisible Touch (1986), do qual foram extraídos cinco singles de sucesso, o grupo fixou-se em sonoridades mais pop.
A década de 80 trouxe projetos paralelos dos membros da banda, com Phil Collins a desenvolver carreira a solo e Mike Rutherford a formar os Mike And The Mechanics.
Em 1991 gravaram We Can't Dance. O disco entrou diretamente para o primeiro lugar da tabela de vendas no Reino Unido e para o quarto nos EUA. Foi também o último registo de Phil Collins com a banda.
Em 1996 Phil Collins saiu do grupo, sendo substituído por Ray Wilson (n. Edimburgh, Escócia), ex-Stiltskin. Já com o novo vocalista gravaram em 1997 o álbum Calling All Stations. O disco recuperou as raízes de art-rock que a banda tivera com Peter Gabriel mas não obteve reações positivas, acabando por ter vendas modestas. A digressão que suportou o lançamento deste álbum também não teve êxito.
Em 1998 foi lançada a retrospetiva Archives, Vol. 1: 67-75 contemplando a era Peter Gabriel. Dois anos mais tarde, foi lançado Genesis Archives, Vol. 2: 1976-1992, uma recolha dos principais êxitos do grupo, com Phil Collins como vocalista.
Como referenciar: Genesis in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-17 14:17:57]. Disponível na Internet: