George Plimpton

Escritor e jornalista norte-americano, George Ames Plimpton nasceu a 18 de março de 1927, na cidade de Nova Iorque. Filho de um advogado de renome, diplomata e funcionário das Nações Unidas, pôde frequentar a dispendiosa Academia Phillips Exeter. Aí percorreu o ensino secundário, não sem ter colaborado no periódico estudantil e, em 1944, ingressou na Universidade de Harvard, onde de novo contribuiu para a imprensa académica.
No ano de 1945 alistou-se no exército e, tendo sido destacado para a Itália, aproveitou o facto de se encontrar na Europa para frequentar o King´s College da Universidade de Cambridge. Graças a este empreendimento, não só ascendeu do posto de soldado raso ao de tenente, como obteve uma licenciatura em Estudos Ingleses no ano de 1954. O seu dinamismo tornou-se também patente quando, em 1953 e durante uma visita à cidade de Paris, resolveu fundar uma revista, a Paris Review, publicação que subsistiu com Plimpton na qualidade de editor-chefe. Ocupou um cargo docente no Barnard College a partir de 1956 e durante dois anos.
Em 1959 defrontou em combate o pugilista Archie Moore, na época campeão de pesos pesados. A ousadia veio a dar os seus frutos dois anos depois quando, na qualidade de jornalista ao serviço do periódico desportivo Sports Illustrated, teve a ideia de escrever um artigo baseado na sua experiência pessoal, pelo que decidiu participar como jogador numa série de partidas de baseball. Apesar do resultado catastrófico no domínio desportivo, Plimpton conseguiu recolher material suficiente para a feitura de um livro, Out Of My League (1961). O enorme sucesso obtido por esta publicação encorajou-o a repetir o feito, pelo arranjou maneira de se infiltrar numa equipa de futebol americano, os Detroit Lions e, novamente mostrando prestações atléticas absolutamente ridículas, foi exímio em passar ao papel todas as emoções do jogo, publicando em 1966 aquele que se viria a tornar um dos seus livros mais célebres, Paper Lion. Achegou-se também ao ténis, ao golfe e ao circo, ao tentar a sua sorte como trapezista.
Amigo pessoal da família Kennedy, George Plimpton revelou-se um editor exímio, ao descobrir autores como Jack Kerouac, V.S. Naipaul, Philip Roth e T. Coraghessan Boyle, entre muitos outros.
George Plimpton faleceu na cidade de Nova Iorque a 25 de setembro de 2003.
Como referenciar: George Plimpton in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-13 09:28:27]. Disponível na Internet: