Artigos de apoio

Gladiador
O Gladiador, realizado por Ridley Scott em 2000 e com argumento de David H. Franzoni, John Logan e William Nicholson, foi um dos grandes sucessos de 2001 com cinco Óscares de Melhor Filme, Melhor Ator Principal (Russel Crowe), Melhor Design de Guarda-Roupa, Melhores Efeitos Visuais e Melhor Som, para além de sete nomeações incluindo a de Melhor Realizador e a de Melhor Ator Secundário (Joaquin Phoenix). Este filme de ação conta, para além de Russel Crowe (Maximus Decimus Meridius) e Joaquin Phoenix (Commodus), com um excelente elenco, com especial destaque para Connie Nielsen (Lucilla), Oliver Reed (Proximo) - que faleceu pouco depois das filmagens - e Richard Harris (Marco Aurélio). Na história deste épico moderno, o bem sucedido general Maximus Decimus Meridias é nomeado guardião de Roma pelo Imperador Marco Aurélio (Richard Harris) até que o poder volte para o Senado e para o povo. O filho do imperador, Commodus, ao ver-se afastado pelo pai manda executar Maximus que foge para a sua casa na Hispânia, não chegando a tempo de salvar da morte a sua mulher e o seu filho. Feito escravo e treinado como gladiador por Proximo, Maximus vive para a vingança da morte da sua família e para cumprir os desejos do imperador, o que vem a acontecer numa maratona de jogos de gladiadores em Roma. Este filme que no seu conjunto reúne um bem arquitetado argumento, uma realização competente e uma representação profissional desenvolve-se com uma extrema beleza e elegância cénica que já é hábito em Ridley Scott, sendo quase perfeito no aspeto visual, visto que talvez seja o filme que, na História do cinema, retratou com maior majestade e grandeza a Roma Antiga, tanto nas cenas das batalhas e na arena do Coliseu como na arquitetura da cidade ou no guarda-roupa das personagens. A arquitetura do argumento é correta no que diz respeito à intensidade da narrativa, sem grandes surpresas, mas a história beneficia mais da interpretação dos atores do que da densidade e da consistência das personagens. Assim, a toda uma intensidade visual corresponde uma certa leveza na história, resultado de uma relativa falta de multidimensionalidade das personagens que se ficam um pouco pela sua condição de heróis ou vilãos, à exceção de alguns momentos ou de algumas deixas ou citações que pretendem exatamente dar a impressão contrária. De todas as formas e apesar de nos trazer um discurso visual em vez de nos transportar em mente e espírito ao mundo da Roma Antiga e sobretudo das pessoas que nela viveram, Gladiador é um filme que apresenta uma grandeza cénica e rítmica.
Como referenciar: Gladiador in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-07-26 21:39:46]. Disponível na Internet: