Gordon Earle Moore

O empresário e milionário norte-americano Gordon Earle Moore nasceu a 3 de janeiro de 1929, em São Francisco, na Califórnia, nos Estados Unidos da América.
Moore é formado em Química pela Universidade da Califórnia e em Química e Física pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia.
Apesar da sua formação nestas áreas, destacou-se na indústria de semicondutores, na altura em que era diretor de pesquisa e desenvolvimento na Fairchild Semiconductor. Em 1965 previu que o número de transístores que a indústria conseguiria colocar num chip de computador iria duplicar a cada ano que passava. A previsão, que se tornou famosa, ficou conhecida por "Lei de Moore". Esta lei tornou-se uma referência para a indústria informática confecionar chips semicondutores cada vez mais poderosos e proporcionalmente mais baratos.
Moore foi cofundador, em 1968, da Intel, que viria a ser uma das maiores empresas informáticas do mundo. A Intel ficou sedeada em Silicon Valley, região onde estão instaladas as empresas de alta tecnologia. O seu parceiro era Robert Noyce, colega na Fairchail Semiconductor. Nessa altura, Moore começou por ser vice-presidente executivo, cargo que desempenhou até ser promovido a presidente e diretor executivo sete anos depois. Foi diretor executivo durante dez anos.
A Intel, entretanto, tornou-se uma empresa de renome internacional, responsável pela introdução, em 1971, de um microprocessador num computador. Foi também a empresa responsável pela invenção da memória de alta velocidade. Chegou a equipar 80 por cento dos computadores pessoais.
Em 1990, o então presidente norte-americano George Bush entregou a Moore a Medalha Nacional de Tecnologia.
Três anos depois, a Intel foi votada pela revista Finacial World como a terceira marca mais valiosa, atrás da Marlboro e da Coca-Cola, a primeira.
Em 1994, Moore, adepto da ideia de existir vida extraterrestre, tornou-se um dos principais financiadores do projeto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) (procura de inteligência extraterrestre).
Em 1995, Gordon Moore atualizou a sua previsão da "lei de Moore", estimando uma duplicação do número de transístores por chip a cada dois anos.
Em 1997 foi nomeado presidente honorário da Intel.
Em novembro de 2000, Gordon Moore anunciou que iria aplicar cinco biliões de dólares, um quinto da sua fortuna, na criação de uma fundação em São Francisco com fins científicos, ambientais e educacionais.
Os conhecimentos e capacidades de Moore são ainda aproveitados por instituições como a Academia Nacional de Engenharia e o Instituto de Tecnologia da Califórnia.
Como referenciar: Gordon Earle Moore in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-03-30 00:46:57]. Disponível na Internet: