Gouveia


Aspetos Geográficos
O concelho de Gouveia, do distrito da Guarda, localiza-se na Região Centro (NUT III) na Serra da Estrela (NUTIII). É limitado a norte pelos concelhos de Fornos de Algodres e de Celorico da Beira, a sul pelos concelhos de Seia e de Manteigas, a oeste é delimitado pelo concelho de Mangualde do distrito de Viseu e a este pelo concelho da Guarda. Dista 40 km da Guarda, 90 km da fronteira internacional de Vilar Formoso, 35 km de Viseu e 200 km do Porto.
Tem uma área de 300,6 km2 dividida em 22 freguesias: Aldeias. Arcozelo, Cativelos, Figueiró da Serra, Folgosinho, Freixo da Serra, Lagarinhos, Mangualde da Serra, Melo, Moimenta da Serra, Nabais, Nespereira, Paços da Serra, Ribamondego, Rio Torto, Gouveia (São Julião), São Paio, Gouveia (São Pedro), Vila Cortês da Serra, Vila Franca da Serra, Vila Nova de Tazém, Vinhó. Em 2005, o concelho apresentava 15 827 habitantes.
O natural ou habitante de Gouveia denomina-se gouveense.

História e Monumentos
Não se sabe ao certo qual a origem de Gouveia mas, segundo uma tradição, remontará ao ano de 580 a. C. Terá sido ocupada por romanos e árabes e, em 1186, D. Sancho I ter-lhe-á concedido o primeiro Foral, renovado, depois, em 1510, por D. Manuel I.
Neste concelho existem monumentos importantes como: a Casa da Torre (em granito), monumento Nacional; o Solar dos Serpa Pimentel, que é a atual Biblioteca Municipal Virgílio Ferreira; os Paços do Concelho; o Solar dos condes de Vinhó e Almedina, atual Museu Municipal Abel Manta; a Igreja Matriz de S. Pedro; a Igreja da Misericórdia e a Capela do Senhor do Calvário.
Fora da cidade existe a pequena Aldeia-Museu denominada de Melo, berço de Virgílio Ferreira; a Igreja do antigo convento de Madre de Deus, na freguesia de Vinhó, e o Dólmen de rio Torto.

Tradições, Lendas e Curiosidades
No concelho realizam-se várias festas e feiras, como a do Queijo da Serra, no domingo de Carnaval; o Senhor do Calvário, cinco dias procedentes à segunda segunda-feira de agosto inclusive; a festa de S. Miguel, no último domingo de setembro; o mercado semanal à quinta-feira; a feira anual de gado, no segundo domingo de agosto; a FACIG - feira comercial e industrial de Gouveia, durante o mês de agosto; a feira de artesanato, também durante o mês de agosto; a feira do mel serrano, durante o mês de setembro.
O feriado municipal é a segunda-feira posterior ao segundo domingo de agosto.
Existem monumentos naturais, esculpidos em pedra, dignos de menção como a Cabeça do Velho ou a Pedra do Equilíbrio.
O artesanato da região consiste na tecelagem, nos bordados e mantas de farrapos, na confeção de camisolas e casacos rústicos, de chinelos de trapos, na tanoaria e nas peças em Madeira.

Economia
As importantes fontes de rendimento do concelho são a vitivinicultura, com a produção do vinho do Dão, e a ovinicultura e seus derivados como, por exemplo, o queijo da serra. A silvicultura, os têxteis, os lanifícios, a construção civil, a extração de granitos, a água de mesa e o turismo, ligado essencialmente ao Parque Natural da Serra da Estrela, assumem também importância na economia da região.
Como referenciar: Gouveia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-24 05:21:01]. Disponível na Internet: