Grande Mesquita de Damasco (706-715)

A mesquita da capital da Síria é um dos mais importantes monumentos da Arte muçulmana oriental, datada do século VIII, mandada construir por vontade do califa al-Walid, sobre um santuário romano, com as paredes cobertas a mosaicos de origem bizantina.
Nestes mosaicos estão representadas paisagens naturalistas associadas a alguns elementos arquitetónicos, enquadrados por uma moldura amplamente ornada por motivos vegetalistas e geométricos (à boa e correta maneira muçulmana), colocados sobre um fundo dourado. Esta composição de pendor helenístico-romano é bastante distinta dos mosaicos bizantinos e denota uma forte influência da tradição de uma arte ilusionista, presente na decoração pictórica das casas de Pompeia, a cidade romana soterrada pelo vulcão Etna.
Um autor árabe, de uma época próxima da edificação da mesquita, afirmou que esta fora construída para que os muçulmanos não se deixassem deslumbrar pelas igrejas "encantadoramente belas e famosas pelo seu esplendor" erigidas nos arredores da cidade de Damasco.
Esta mesquita está integrada na Cidade Antiga de Damasco, local classificado Património Mundial pela UNESCO.
Como referenciar: Grande Mesquita de Damasco (706-715) in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-12-12 21:28:00]. Disponível na Internet: