Artigos de apoio

Grande Mesquita de Jerusalém
Em 637 deu-se a conquista de Jerusalém pelos árabes muçulmanos, que em 685 deram início à construção da mesquita. Em 690 era erigida a Cúpula do Rochedo que deu o nome depois à mesquita.
A Cúpula de Pedra da Mesquita de Jerusalém assume-se como o maior monumento do Islão, situada perto do templo de Salomão, construído por iniciativa do califa Abda al-Malik, da Primeira Dinastia muçulmana dos Omíadas, que descendem de um companheiro do profeta Maomé.
Esta mesquita foi iniciada como um santuário particular, de planta octogonal, constituído a partir de dois deambulatórios concêntricos, com uma cobertura feita por uma cúpula. O modelo desta planta deriva dos Martyria, os templos de planta centrada da arte paleocristã.
O afloramento rochoso sobre o qual se eleva a cúpula era venerado pelos judeus como o túmulo de Adão e estava associado ao lugar do sacrifício de Isaac, enquanto que para os muçulmanos era adorado como o local onde Maomé se elevou para a sua ascensão noturna aos céus.
O objetivo do califa que mandou erigir a mesquita era construir um monumento que superasse as igrejas cristãs e também a Caaba de Meca. A decoração, datada do século VII, subsiste em grande parte no seu interior, ornado por jogos de mármores coloridos e mosaicos de motivos vegetalistas.

Como referenciar: Grande Mesquita de Jerusalém in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2017. [consult. 2017-06-29 15:10:06]. Disponível na Internet: