Grande Otelo

Ator brasileiro nascido em 1915 e falecido em 1993, considerado um dos maiores vultos do cinema cómico do seu país nos anos 40 e 50. Estreou-se em palco aos 7 anos num número paródico de circo em Uberlândia, sua cidade natal. De seu nome Sebastião Prata, foi para S. Paulo para fugir a um ambiente familiar trágico: o pai fora assassinado e a mãe era uma alcoólica incorrigível. Em 1932, entrou para uma companhia de teatro e, apesar da sua baixa estatura, conquistou o público paulista devido ao seu talento. Como os colegas o apelidavam de Great Othello, resolveu aportuguesar o epíteto e adotá-lo como nome artístico. Ao lado do ator Oscarito, formou a dupla mais popular do cinema cómico brasileiro, em filmes como A Sedução do Garimpo (1941) e Carnaval no Fogo (1949), sendo que durante as filmagens deste recebeu a notícia de que a sua mulher havia matado o seu filho de seis anos, suicidando-se em seguida. Embora fosse um símbolo do teatro popular, Otelo foi também escolhido para ser um símbolo do cinema novo brasileiro, tendo sido o protagonista de Macunaíma (1969), um dos títulos emblemáticos deste período. Participou também em produções internacionais como Fitzcarraldo (1982), de Werner Herzog, e em telenovelas como Sinhá Moça (1986).
Como referenciar: Grande Otelo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-22 12:22:53]. Disponível na Internet: