Gregório XVI

Papa italiano, nascido no Véneto (em Belluno), a 18 de setembro de 1765, Alberto Cappellari entrou em 1773 para o mosteiro de São Miguel de Murano e passou a chamar-se Mauro. Em 1787 ordenou-se e em 1790 tornou-se professor de filosofia no mosteiro em que tinha professado. Em 1799 publicou O triunfo da Santa Sede e da Igreja perante os ataques dos inovadores, a propósito da invasão de Roma e prisão de Pio VI pelos republicanos franceses. No ano de 1800 tornou-se primeiro abade vigário do mosteiro de São Gregório de Roma e em 1805 abade ordinário deste mesmo mosteiro. Dois anos depois foi procurador-geral dos camaldulenses, ordem que tinham professado, e em 1823 geral da dita Ordem. Em 1826 foi-lhe dada a dignidade cardinalícia, tendo sido também prefeito da Congregação de Propaganda Fide.
Foi consagrado bispo no dia 6 de fevereiro de 1831, condição necessária para aceder ao trono de São Pedro.
Continuando a levar uma vida austera de monge, plasmou na encíclica de 1832 (Mirari vos) a necessidade do celibato sacerdotal e a santidade do matrimónio, além de emitir opiniões sobre diversas questões como o regalismo e o galicanismo, a liberdade de consciência e a de imprensa. O rei prussiano Frederico Guilherme III quis que Gregório XVI alterasse as disposições de Pio VIII em relação aos casamentos mistos, algo que este se recusou a fazer. O rei conseguiu então um acordo secreto com o arcebispo Ferdinand August Spiegel de Colónia para que se alterassem os ditos preceitos. Entretanto tornou-se arcebispo de Colónia Clement August von Droste zu Vischering, que denunciou este estado de coisas e foi preso. Somente com a Convenção de 1841 se resolveu em favor da Santa Sede a chamada Questão de Colónia.
Este papa reinou numa época particularmente difícil para a Santa Sede, tendo tanto os Estados Pontifícios como a Europa sido sacudidos por sangrentas revoluções que Gregório XVI a custo conseguiu dominar nos seus territórios. Assistia-se a uma crise anticlerical, que em Espanha, por exemplo, teve como consequência o assassinato de cerca de cento e cinquenta religiosos, e em Portugal o corte com Roma e a extinção das ordens.
As missões foram intensamente desenvolvidas neste papado, particularmente em África, tendo sido emitido o documento Neminem profecto (1845) que regulava a divulgação da Fé.
Acabou este papa por falecer devido a uma súbita e grave doença, tendo sido sepultado em São Pedro. O seu reinado cessou a 1 de junho de 1846.
Como referenciar: Gregório XVI in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-11-15 02:52:11]. Disponível na Internet: