Grutas de Santo António

As Grutas de Santo António, situadas em Pedra do Altar, no concelho de Porto de Mós, em Leiria, Portugal, foram descobertas em junho de 1955 por dois homens que trabalhavam lá perto. Quando andavam à procura de um pássaro que tentavam caçar, os homens entraram por uma fenda aberta num rochedo por onde a ave havia passado. Assim, por acaso, descobriram estas grutas de estalactites e estalagmites.
As Grutas de Santo António, que ficam na Serra dos Candeeiros e que estão divididas em diversas salas, têm uma área total de 6000 metros quadrados. A sua maior sala tem 80 metros por 50. A altura máxima verificada nas grutas é de 43 metros. Tem boa ventilação, feita através de uma chaminé natural, e a temperatura ambiente varia entre os 18 e os 20 graus.
As Grutas de Santo António estão localizadas no Maciço Calcário Estremenho, uma área de cerca de 900 quilómetros quadrados onde existem rochas calcárias muito compactas e duras. O impacto da água no calcário faz com que a nível subterrâneo surjam os chamados algares, aberturas naturais verticais que, ocasionalmente, se desenvolvem, na profundidade, em sistemas de galerias, salas e poços, ou seja, grutas. Tal sucedeu no caso das Grutas de Santo António.
Na visita às Grutas de Santo António, a primeira sala que se encontra chama-se Lago da Felicidade. Seguindo o caminho surge a sala Morcegos, para logo depois se chegar ao Cipreste. Caminhando mais um pouco pode ver-se a primeira área de estalagmites. Avançando chega-se à Coluna, logo seguida de Fátima. Mais à frente uma nova área de estalagmites pode ser observada do lado direito, fechando-se assim o circuito de visita das Grutas de Santo António. Entretanto, na zona central fica situada a área das estalactites.
As grutas estão dotadas de iluminação artificial e têm música ambiente.
Como referenciar: Grutas de Santo António in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-23 11:44:19]. Disponível na Internet: