Guerra da Coreia

Guerra travada, entre 1950 e 1953, entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul. Tratou-se, no fundo, de um confronto indireto entre as grandes potências que dominavam a cena política internacional durante a chamada Guerra Fria. A Coreia do Norte, liderada por Kim Il-Sung, tentou submeter a Coreia do Sul, pró-ocidental, ao seu regime socialista de partido único.
Em 1950, a Coreia do Norte, com o apoio da União Soviética, planeou e executou o ataque. Reunido de emergência o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, foi aprovada uma resolução (devido à abstenção da URSS e à falta de comparência da China) que condenava a Coreia do Norte como agressora. Nesse mesmo dia (27 de junho de 1950), o presidente norte-americano Harry Truman decidiu declarar guerra à Coreia do Norte, ordenando que fosse prestada assistência militar à Coreia do Sul (sem pedir autorização ao Congresso) em nome das Nações Unidas. Ao lado da Coreia do Norte estiveram as forças da China.
Estima-se que tenham perdido a vida no conflito cerca de 3 milhões de pessoas. Deu-se também a fuga de muitos milhares de cidadãos coreanos, que se tornaram refugiados noutros países. A Coreia do Norte ficou completamente destruída pelas bombas norte-americanas e a Coreia do Sul ficou com o seu aparelho produtivo gravemente danificado. O armistício teve lugar em 1953, dando-se então o reconhecimento das fronteiras entre as duas Coreias, seguido do repatriamento dos prisioneiros.
Como referenciar: Guerra da Coreia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-24 00:31:00]. Disponível na Internet: