Guerra Franco-Prussiana

Conflito armado disputado entre a França e um conjunto de estados germânicos liderados pela Prússia, que levaram a melhor sobre os gauleses. As causas diretas desta guerra foram, por um lado, a vontade expressa de Bismark, o estadista prussiano, de se expandir e pôr termo à influência francófona sobre os povos germânicos do Reno. Por outro, a França, sob a governação do imperador Napoleão III (1852-1870), tentava recuperar o prestígio perdido com uma série de desaires diplomáticos, e em particular pela perda de influência na Prússia, na sequência da derrota na batalha austro-prussiana de 1866.
O conflito foi declarado aberto pela França a 19 de julho de 1870. A Prússia desde logo contou com o apoio dos estados germanos do Sul, na luta de Guilherme contra a França, chefiados pelo estratega Helmut Karl Bernhard Graf von Moltke. A batalha que decidiu o conflito foi a Batalha de Sedan, de 1 de setembro de 1870, concluída com a rendição das tropas francesas e a captura de Napoleão III.
O Tratado de Frankfurt, assinado a 10 de maio de 1871, acabou com a guerra entre a França e a Alemanha, mediante a obrigatoriedade do vencido entregar o território da Alsácia e parte da província da Lorena e pagar cinco biliões de francos de ouro.
Como referenciar: Guerra Franco-Prussiana in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-26 23:48:05]. Disponível na Internet: