Artigos de apoio

Hélder Pacheco

Escritor e ensaísta português, Hélder Pacheco nasceu na freguesia da Vitória, no Porto. Nascido num berço burguês, sempre conviveu com o mundo da atividade comercial desenvolvida pelo seu pai. Esta convivência, que não é com certeza inocente, aguçou o seu olhar perante a sociedade consumista dos nossos dias, tornando-o profundamente crítico e rigoroso.
Homem informado, de convicções fortes, não se deixa atingir pelas flechas solicitadoras e enganadoras do Mercado, afirmando que "ao consumir apenas aquilo de que necessito, evito as concessões e os gastos supérfluos." Não é, definitivamente, um "homo consumisticus" que escorrega e se enterra no escandaloso pântano lamacento da publicidade.
Licenciado pela Escola Superior de Belas Artes do Porto, Hélder Pacheco foi durante muitos anos professor de Educação Visual e Metodólogo de estágio nesta área. Dedicando muito do seu tempo à investigação da cultura popular da cidade do Porto, com esta mantém, desde sempre, uma relação assumida, intensa e apaixonada.
Cronista emocionalmente envolvido com os seus relatos, o autor faz o elogio da sua cidade, que vai tentando resistir ao desgaste das mentalidades, lançando sobre ela um olhar cúmplice mas crítico.
A Cidade, as suas gentes e tradições constituem, assim, simultaneamente personagem principal e ação de uma epopeia (termo que se refere, neste caso, ao conjunto da sua obra) cujo herói coletivo (a população), amante da liberdade, sempre deu provas de grande resistência e "tenacidade sob as condições mais adversas". A este propósito diz Heldér Pacheco que "foi por não aceitarmos a imposição de modelos alheios que fizemos mais de 30 revoluções ao longo da História", e note-se o uso da pessoa verbal (Nós) como prova da cumplicidade e envolvência do autor na substância da sua narrativa.
"Barbeiros, pescadores, comerciantes, cauteleiros, vendedores, penhoristas, claquistas, meninas da vida, desportistas, fotógrafos à la minuta, amantes de tainas, carteiristas, esposas resignadas ou ciumentas, mecânicos, polícias, excursionistas, remadores, "engenheiros" que ensinavam a conduzir, gente de bairro capaz de fazer das tripas coração e de seguir com a sua avante" fazem parte de um universo social de " personagens inesquecíveis" que transformam os livros do autor num medidor do batimento do coração da Cidade.
Cidadão atento a tudo quanto o rodeia, não desperdiça as oportunidades para falar das iniciativas que possam abrir as portas ao desenvolvimento e à requalificação urbana da cidade. Por isso, afirmou, na altura, que "O Porto 2001 poderá ser um sucesso indiscutível se não se circunscrever às elites, criando espetáculos de qualidade com que a população se identifique."
Publicou trabalhos em jornais e revistas sobre a problemática do sistema educativo e coordenou a edição da série A Escola e a Comunidade.
Foi bolseiro do Conselho da Europa, tendo participado em cursos em Manchester e Newcastle. Como bolseiro do Instituto Sueco, estudou métodos de proteção às tradições locais, no Museu de Umea.
Realizou conferências e seminários sobre o património cultural e ministrou cursos sobre cultura popular na Universidade Popular do Porto.
Não escrevendo só sobre o Porto, mas escritor indispensável para todos aqueles que pretendam penetrar na história mais profunda desta Cidade, Hélder Pacheco é autor, dos seguintes títulos: Nós,Portugueses (1991), Porto, Sítios, Lembranças, Emoções (1992), Porto, Memória e Esquecimento (1994), de Tradições Populares do Porto, Portugal Património Cultural Popular, Intimidades Portuenses (1997), O Porto no Tempo da Guerra (1998).
Publicou também Guia do Porto, integrado na Coleção "Novos Guias de Portugal".
O livro Porto:Lugares Dentro de Nós publicado em 2001, reúne um conjunto de histórias sobre a cidade contadas por pessoas anónimas, habitantes da cidade.
Como referenciar: Hélder Pacheco in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2018. [consult. 2018-08-15 19:28:49]. Disponível na Internet: