Henri-Pierre Roché

Escritor e jornalista francês nascido a 28 de maio de 1879, em Paris, e falecido a 9 de abril de 1959, em Sèvres, na região de Hauts-de-Seine.
Henri-Pierre Roché exerceu as funções de jornalista e, demonstrando interesse também pelas artes, foi colecionador e comerciante de peças de arte. No início do século XX, fez parte de um grupo de jovens artistas do bairro de Montparnasse, em Paris, dos quais se destacam Max Jacob, Pablo Picasso, Manuel Ortiz de Zárate e Marie Vassilieff. Conviveu ainda com Francis Picabia, Constantin Brancusi e Marcel Duchamp e esteve envolvido no movimento dadaísta, em França.
Em 1916, em consequência da dispensa do exército francês, viajou para Nova Iorque com Francis Picabia. Conheceram, então, Beatrice Wood com a qual fundaram a revista Blind Man (Homem Cego), revista pioneira na exibição de manifestações dadaístas nos Estados Unidos da América.
Escreveu dois livros que obtiveram muito sucesso. O primeiro, Jules et Jim (1953, Jules e Jim), retrata a história de dois amigos e de uma mulher que ama ambos. Para alguns críticos, a obra foi inspirada no trio Duchamp, Wood e Roché, para outros, no trio Franz Hessel, Helen Hessel e Roché. O segundo livro intitula-se Les Deux Anglaises et le Continent (1956). Ambos foram adaptados para cinema, sob a direção de François Truffaut, tendo Jules e Jim aparecido em 1962 e a segunda obra, em 1971.
Como referenciar: Henri-Pierre Roché in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 19:21:09]. Disponível na Internet: