Igor Stravinsky

Compositor russo, Igor Fiodorovitch Stravinsky nasceu a 17 de junho de 1882, em Oranienbaum, na Rússia, e morreu a 6 de abril de 1971, em Nova Iorque, nos Estados Unidos da América. O seu trabalho teve um enorme impacto revolucionário na sensibilidade musical, antes e depois da Primeira Guerra Mundial.
Formou-se em Direito em 1905, embora se dedicasse ao piano desde os oito anos. Teve como mestre Rimski-Korsakov e, desde muito cedo, compôs as músicas para os bailados de Diaghilev. Os mais célebres são: O Pássaro de Fogo (1910), Petrouchka (1911) e A Sagração da Primavera (1913), este último bastante controverso, devido aos ritmos e às harmonias pouco ortodoxos para a época. A versatilidade do seu trabalho varia entre o seu bailado neoclássico Pulcinella (1920) e Sinfonia de Salmos (1930). Mais tarde fez uso de novas técnicas de composição em trabalhos como Canticum Sacrum (1955) e o bailado Agon (1953-57).
Com a criação de O Pássaro de Fogo, Stravinsky obteve um enorme sucesso, passando a ser conhecido como um dos compositores mais dotados da nova geração. Os trabalhos instrumentais mais conhecidos incluem Octeto para Instrumentos de Sopro (1923), Concerto para Piano e Instrumentos de Sopro (1924), Piano Sonata (1924) e Serenata (1925), para piano. Durante a Segunda Guerra Mundial, compôs dois trabalhos sinfónicos importantes: Sinfonia em dó maior (1938-40) e Sinfonia em Três Andamentos (1942-45).
As conquistas da obra de Stravinsky deram-se no campo do ritmo, da harmonia e da orquestração. Nesse sentido, rejeitou sempre a ideia germânica de que o desenvolvimento temático apenas se baseia na escrita séria. Essa característica acabou por influenciar vários compositores deste século, como Falla, Prokofiev, Hindemith e Honegger. As suas composições permanecem como um critério de modernismo.
Como referenciar: Igor Stravinsky in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-09 09:35:50]. Disponível na Internet: