Igreja do Espírito Santo (Ribeira Grande)

Construída por iniciativa da Misericórdia micaelense, no século XVIII, no lugar de uma antiga ermida, a açoriana Igreja do Espírito Santo da Ribeira Grande, cuja autoria se desconhece, apresenta uma original frontaria do barroco português.
O arquiteto que concebeu o templo adotou a solução de criar uma movimentada fachada convexa e abaulada, flaqueada por fortes pilastras retangulares e delimitada por ressaltada cornija de linhas retas. Ao movimento das formas da fachada veio juntar-se uma exuberante e túrgida decoração barroca. O largo pórtico, formado por duplo portal, repete o esquema construtivo da fachada, constituído por entablamento e cornija ressaltada e denticulada, e emoldurado por dois adossados pilares compósitos assentes em pedestais com volutas. No piso superior rasgam-se duas grandes janelas retangulares - encerrando mísula de grandes dimensões com baldaquino concheado -, ladeadas por quatro fogaréus de movimentadas labaredas. A fachada é rematada por frontão curvo, envolto por enrolamentos fitomórficos e concheados, terminado por uma cruz. A porta lateral segue o esquema construtivo do portal nobre. A contrastar com a túrgida exuberância do exterior, o interior revela-se um espaço de grande sobriedade. A nave foi acrescida com o corpo da antiga ermida.
A capela-mor, coberta por abóbada de berço, contém um retábulo barroco em talha dourada e branca, destacando-se na profunda tribuna o seu trono escalonado.
A Igreja do Espírito Santo possui uma escultura do Senhor dos Passos que pode ser atribuída a José de Almeida, um dos escultores da célebre "Escola de Mafra".
Como referenciar: Igreja do Espírito Santo (Ribeira Grande) in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-19 07:16:39]. Disponível na Internet: