Igreja Matriz da Ribeira Brava

Consagrada a S. Bento, a Matriz da Ribeira Brava é um templo antigo, possivelmente fundado no século XV, que renovações posteriores tornaram dissonante. Contudo, o seu interior revela um espólio artístico variado e de grande valia.
Da época do reinado de D. Manuel I é de realçar o púlpito de pedra da igreja, obra dos inícios do século XVI e que deixa ver lavores magnificamente esculpidos de cariz vegetalista, símbolos heráldicos e cabeças de anjos. Também manuelina é a elegante pia batismal em pedra, lavrada com motivos cordiformes, presenças zoomórficas e vegetalistas, combinadas ainda com outros ornamentos esculpidos.
As tábua pintada representando a Nossa Senhora com o Menino, ladeada por duas outras com S. Bento e S. Bernando, é uma magnífica e bem delineada composição pictórica quinhentista, revelando uma clara influência de um atelier flamengo. Também com a mesma origem e contemporânea deste tríptico flamengo é a elegante escultura policromada e dourada, representando a Virgem com o Menino.
Completando os tesouros desta igreja estão algumas peças preciosas de ourivesaria, com destaque para uma cruz processional datada de 1580 e alfaias litúrgicas dos séculos XVI, XVII e XVIII. Deste núcleo, é de salientar ainda o singelo e refinado trabalho de ourivesaria de um lampadário de prata, dos meados do século XVII, revelando na sua estrutura a decoração de motivos geométricos e florais.
Como referenciar: Igreja Matriz da Ribeira Brava in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-01-25 06:40:49]. Disponível na Internet: