Igreja Matriz de Pombal

De construção antiga, a Igreja Matriz de Pombal seria objeto de nova reedificação em 1520, profundamente remodelada em 1816 pelo Capitão-mor de Pombal, Jorge Coelho de Vasconcelos Botelho, após a sua devastação cinco anos antes, provocada pelo vandalismo das tropas francesas em retirada. Atualmente, este templo desempenha as funções de Paroquial de S. Martinho.
A fachada é simples, apresentando uma pequena escadaria que conduz a um portal ogival, sobrepujada pelo janelão do coro com a sua verga mistilínea. Lateralmente sobressai a maciça torre sineira erguida em 1677, rasgada por várias ventanas e apresentando cobertura bolbosa e acrotérios nos seus ângulos.
Da sua planimetria, o realce vai para a Capela lateral de N. Sra. da Piedade, espaço construído em 1551 e coberto por abóbada nervurada, tendo no fecho desta um brasão da família Freire Botelho. Este empreendimento foi realizado pelo fidalgo pombalense, o Capitão Jorge Botelho, destinando-o a panteão funerário da sua família. A nave e a capela-mor apresentam-se cobertas por tetos de esteira, onde se podem observar, respetivamente, decoração policromada na nave e a pintura das armas reais portuguesas na ousia. As paredes da nave possuem dois retábulos em talha dourada, obra barroca dos inícios de Setecentos. O púlpito é em forma de cálice, assente num pé elevado, tendo esculpida a Cruz de Cristo na sua varanda. A pia de água benta, obra do século XVI, é talhada de pedra rosada e apresenta, igualmente, o formato de um cálice.
Os altares colaterais estão ornamentados por uma estrutura de talha dourada, provavelmente obras do barroco seiscentista.
A ousia é forrada por azulejos modernos e o destaque artístico concentra-se no seu belo retábulo de pedra policromada. Obra renascentista dos meados do século XVI, está atribuída ao atelier do escultor francês João de Ruão, provindo o retábulo da destruída Igreja de Santa Maria do Castelo de Pombal. Este belo retábulo classicista apresenta episódios escultóricos versando a vida de S. Martinho, de Cristo e de S. João Batista. Na sua composição plástica são ainda visíveis os bustos de um elegante apostolado.
Como referenciar: Igreja Matriz de Pombal in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-18 12:34:23]. Disponível na Internet: