Incursões Eslavas na Europa Central

A sociedade eslava era unida por uma língua comum; estava organizada numa estrutura tribal, sob a liderança de chefes militares que dirigiam as expedições; a sua economia apoiava-se na agricultura e num artesanato rural.
No inícios do século V d. C., as tribos eslavas, em agrupamentos mais ou menos efémeros, alteraram profundamente o mapa étnico da Europa Central, Oriental e do Sudeste. Os Eslavos penetraram no Império Bizantino e, no último terço do século VI, implantaram-se na Península Balcânica, no Peloponeso, desde então fortemente marcado por um habitat eslavo que sobrevive até ao fim da Idade Média e somente nas ilhas da costa oeste da Ásia Menor. Outros eslavos subiram o Danúbio em direção à Morávia e à Boémia. Instalaram-se no antigo Illyricum (costa dalmática), no mundo alpino e entre os vales do Elba e do Óder até às proximidades de Kiel e de Holstein. Um aglomerado de tipo eslavo foi também assinalado entre o Óder, o Vístula e o Bug. Por último, em direção a este, pelos vales do Dniepre e seus afluentes, os Eslavos atingiram os lagos de Peipous e Ladoga e a região do Volga superior, eliminando, dominando ou assimilando as tribos bálticas ou finlandesas.
Entre o século VI e IX nasceram três grupos linguísticos: os Eslavos do Ocidente, do Oriente e do Sul.
Como referenciar: Incursões Eslavas na Europa Central in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-09-30 16:32:32]. Disponível na Internet: