Independências nas Caraíbas

O movimento independentista de Cuba ganhou adeptos nos anos 20 do século XIX em sequência do aumento da repressão por parte de Espanha. A revolução foi empreendida cerca de 10 anos depois pelo despotismo do capitão-general Miguel de Tacón. Em 1837 uma revolta de escravos foi severamente punida e entre 1848 e 1851 surgiu um movimento que pretendia anexar Cuba aos Estados Unidos. Este episódio terminou com a captura do general Narciso López.
A independência foi proclamada pelo revolucionário Carlos Manuel de Céspedes, em 1868, mas não se concretizou. O escritor José Marti e o general Máximo Gomés Baéz lideraram outra revolta e os americanos provocaram uma guerra espano-americana da qual saiu derrotada a potência colonial, perdendo a sua influência sobre Cuba tomada pelos americanos.
O povo de origem arawak que habitou o território daquela que viria a ser a República Dominicana revoltou-se em 1821 devido ao incremento da repressão espanhola a partir de 1814. Esta proclamação de independência teve pouco efeito, pois em 1822 o presidente do Haiti Jean Pierre Boyer dominou militarmente toda a ilha. Contudo, uma revolta destronou-o em 1843 e em 1844 Santo Domingo era declarado independente. O general Jean Jacques Dessalines, um tenente de Toussaint l'Overture, o libertador do Haiti, declarou a independência deste país face à França em 1804, em 1849 Fauste Élie Soulouque proclamou-se imperador e só em 1858 Nicolas Fabre Geffrard restaurou a República.
A ilha da Jamaica tornou-se uma colónia espanhola em 1509 e foi temporariamente dominada pelos franceses em 1655, mas em 1670, pelo Tratado de Madrid, era já uma colónia inglesa. Em 1958, foi integrada na Federação das Índias Ocidentais, da qual sairia em 1962, quando se tornou independente.
Trinidad e Tobago libertou-se da Commonwealth com o ministro William e em 1967 estava na Organização dos Estados Americanos, em 1968 era membro fundador do Carabbean Free Trade (CARIFTA), que foi substituído em 1973 pelo Carabbean Community and Common Market (CARICOM).
A ilha dominica, disputada por ingleses e franceses, no século XIX era administrada como parte das ilhas Leeward, nos anos 40 passou para as ilhas Windward e nos anos 60 tornou-se independente.
Antigua e Barbuda foram colonizadas em 1632 pelos ingleses, embora em 1666 tivessem tido um pequeno interregno francês até se tornarem independentes em 1981.
A ilha do Porto Rico, conquistada por Espanha em 1509 por Juan de Léon, alcançou a sua independência em 1897, mas tornou-se pouco depois um Estado associado dos EUA.
Como referenciar: Independências nas Caraíbas in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-11 14:51:58]. Disponível na Internet: