indicativo

Em português, o indicativo é um modo verbal em que se exprimem as ações reais. Através do indicativo, as ações verbais são apresentadas como um facto, um evento real que se realiza num determinado tempo presente, que se realizou no passado ou que está para acontecer no futuro. É o modo principal em que se exprimem as certezas do enunciador e as ações com existência efetiva na realidade ou que estão prestes a realizar-se. Em português, o indicativo desenrola-se nos seguintes tempos:

• Presente (gosto)
• Pretérito Imperfeito (gostava) • Pretérito Perfeito (gostei)
• Pretérito Perfeito Composto (tenho gostado)
• Pretérito Mais-que-Perfeito Simples (gostara)
• Pretérito Mais-que-Perfeito Composto (tinha gostado)
• Futuro (gostarei)
• Futuro do Pretérito (gostaria)

No plano sintático, o indicativo é o modo mais previsível das frases simples (cfr. i), de grande parte das orações coordendas (cfr. ii) e da oração principal na maior parte das frases complexas (cfr. iii):

i) Já estudei um pouco de literatura inglesa.
ii) Ouço as aulas [e tiro notas] coordenada.
iii) Espero que chegues a tempo.

Nota: C. Cunha e L. Cintra (1984) in Nova gramática do português contemporâneo, Lisboa, Sá da Costa, incluem o condicional, que designam por "Futuro do Pretérito", no modo indicativo. Vários outros autores seguem a mesma proposta, mas Fátima Oliveira (2003), in Gramática da Língua Portuguesa Lisboa, Caminho (pp. 256-257), defende que o Condicional funciona mais frequentemente como um modo do que como um tempo em português europeu.
Como referenciar: indicativo in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 13:00:58]. Disponível na Internet: