Indicatorídeos

Família de aves, da ordem das piciformes e segundo a classificação dada por Peters, à subordem dos gálbulos, constituída por 12 espécies. Todos têm as patas adaptadas para trepar, com dois dedos para a frente e dois para trás, de modo a funcionarem como uma pinça. Além disso, as garras são fortes e muito encurvadas, perfeitamente adaptadas para se fixarem na superfície rugosa ou semi-rugosa das árvores. São aves de asas curtas e arredondadas, próprias das aves voadoras medíocres. A esta família pertence o género Indicator com distribuição em África e Ásia meridionais, Sumatra e Bornéu. Além deste género, existem mais três, Prodotiscus, Melignomon e Melichneutes. São aves de plumagem escura. Alimentam-se da cera dos favos de mel. Conduzem os animais melífagos aos locais onde se encontram as colónias de abelhas e, depois de estes as saquearem, comem a cera que digerem à custa de secreções gástricas específicas.
Não se conhecem bem os seus hábitos reprodutores, mas sabe-se que são de criação parasita, isto é, colocam a sua postura, que se reduz a um único ovo branco, no ninho de outras aves. O Prodotiscus insignis costuma fazê-lo nos ninhos dos olhos-de-prata, passeriformes do género Zosterops. Esta característica dos indicadores indicia que o comportamento como guias é instintivo, pois não obedece a nenhuma aprendizagem, atendendo a que são criados por aves de outras espécies.
O Sacavilo (Indicator indicator) dispersa-se por grandes regiões da África tropical e meridional.
Como referenciar: Indicatorídeos in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-11-27 12:12:22]. Disponível na Internet: