Inocêncio X

Papa italiano, João Batista Pamphili era filho de Maria Flaminia del Bufalo e de Camilo Pamphili, tendo nascido a 6 de maio de 1574, em Roma. Estudou no colégio jesuíta desta cidade e na Universidade de Roma, dita "La Sapienza", onde conseguiu o título de doutor em Direito Canónico e em Direito Civil. Tornou-se então presbítero, advogado consistorial em 1601, três anos depois auditor do tribunal da Rota, núncio pontifício na corte napolitana, conselheiro do cardeal Francisco Barberini, patriarca de Antioquia em 1626, no ano seguinte cardeal e foi-lhe também dado o cargo de prefeito da Congregação do Concílio. A 15 de setembro de 1644 ascendia ao trono pontifical, sob o nome de Inocêncio X, ocupando o cargo até 7 de janeiro de 1655.
O sistema nepótico que tinha sido habitual na governação da maior parte dos pontífices causou a desgraça deste, sendo este facto tão evidente que não foi mais empregue com tanta relevância a partir de então. Na verdade, assim que acedeu ao trono pontifical, nomeou cardeal o seu sobrinho Camilo Pamphili, ficando este encarregue de todos os assuntos respeitantes ao papa. Depois de este renunciar, nomeou sucessivamente Francisco Maidalchini e Camilo Astalli, também seus familiares, até que a incompetência fez com que o cardeal Fábio Chigi (que seria o papa Alexandre VII) assumisse as funções de secretário de Estado.
Em 1648 celebrou-se a paz de Westfália (terminando a guerra do Trinta Anos), que se revestiu de particular importância porque inaugurou uma nova forma de encarar a diversidade religiosa. Assim, foi admitido neste tratado o direito (apesar de limitado) de praticar uma religião que não fosse a instituída oficialmente e dividiu-se religiosamente o Império (o que significou a perda das propriedades da Igreja nas zonas protestantes). O papa insurgiu-se e condenou os artigos contrários ao interesse da Igreja emitindo o breve Zelus domus Dei, ao qual não foi dada especial atenção.
Foram extintos neste reinado os mosteiros e conventos italianos com um reduzido número de religiosos, o esforço de missionação continuou e condenaram-se cinco das teses jansenistas. Além disso, o papa organizou uma polícia em Roma, para instaurar segurança numa cidade extremamente perigosa, e Borromini realizou obras em São João de Latrão e Santa Inês (onde se encontra sepultado Inocêncio X), tendo a pavimentação da nave central de São Pedro e a Fonte dos Quatro Rios que se encontra na Praça Navona sido encomendadas a Bernini.
Como referenciar: Inocêncio X in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 21:51:28]. Disponível na Internet: