intersubjetividade

A intersubjetividade é uma condição da vida social que permite a partilha de sentidos, experiências e conhecimentos "entre sujeitos". Este conceito está estreitamente implicado com a questão de saber como é que nós resolvemos as nossas diferenças, ultrapassamos os nossos pensamentos pessoais e partilhamos as nossas subjetividades com os outros (Chang). É através da intersubjetividade e do seu papel mediador no ciclo de perguntas e de respostas (no qual os indivíduos se encontram enredados) que a comunicação é possível. Gabriel Marcel afirma que a relação intersubjetiva, tomada como facto primeiro ou essencial, funda a possibilidade do diálogo.
Ragnar Rommeveit (citado por Chang: "Communication after deconstruction: toward a phenomenological ontology of communication". In Studies in symbolic interaction, vol. 7, parte A. London: JAI Press.), contudo, não se limita a reconhecer a intersubjetividade enquanto termo mediador. Em vez disso, refere que a natureza fundamental da "existência social", a "verdade da sociabilidade", se encontra no referido conceito que, neste caso, corresponde a uma condição necessária para "estar no mundo". Neste contexto social, os sujeitos desempenham papéis, obedecendo a determinados padrões de comportamento, que apenas têm sentido através da intersubjetividade social. Foram os sociólogos, como Gurvitch, que suplantaram os filósofos, ao valorizarem o facto de que os sujeitos estão em relação uns com os outros no modo como se ligam aos objetos.
O velho problema do monadismo - isto é, das substâncias (ou das consciências) separadas, entre as quais era preciso estabelecer uma relação - é, pois, dissolvido em nome da ideia da reciprocidade das consciências, da promoção mútua e da construção conjunta de ideais que implicam um processo de mediatização, só possível, como refere Maurice Nédoncelle, com a intersubjetividade. Sartre, ao contrário, vê a "relação com o outro" numa perspetiva negativista: pelo olhar, o sujeito tende a transformar o outro num objeto.
Atualmente, diversos investigadores estão empenhados em estudar a possibilidade dos novos media poderem ser ou não intersubjetivos. Independentemente das posições, mais ou menos polémicas, sobre este assunto, Christian de Quincey, admitindo que todas as relações intersubjetivas usam um meio, caracteriza este modo específico de intersubjetividade como "assíncrona", enfatizando o facto de a interação ser descontínua no tempo. Segundo este autor, trata-se de uma verdadeira intersubjetividade, considerando ser possível uma relação intersubjetiva com uma pessoa que não está fisicamente presente num dado momento, porque a intersubjetividade se serve, mas não depende, da troca de sinais físicos.
Como referenciar: intersubjetividade in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-21 16:49:10]. Disponível na Internet: