inversão do campo magnético terrestre

A crosta terrestre é constituída por rochas basálticas ricas em ferro que se torna magnético quando consolida. Desta maneira, o fundo oceânico regista a orientação do campo magnético terrestre da época em que o basalto consolidou.
O estudo do magnetismo terrestre permitiu detetar séries alternantes de polaridades normais e invertidas nos basaltos que constituem os fundos oceânicos.
O basalto que ascende nas fraturas das dorsais oceânicas formou diques ou extravasou, originando mantos no fundo oceânico. Estes registaram a direção do campo magnético terrestre existente quando solidificaram. O campo magnético terrestre inverte-se a cada intervalo de cerca de meio milhão de anos e as faixas magnéticas alternantes registam a sucessão de inversões de orientação do campo magnético à medida que vai ocorrendo a expansão do fundo oceânico.
Como referenciar: inversão do campo magnético terrestre in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-10-15 06:58:48]. Disponível na Internet: