Isabel Ruth

Atriz portuguesa, nascida em 1940. Apesar de ter iniciado a sua carreira artística como bailarina clássica, tornou-se num dos grandes símbolos do "Cinema Novo". O seu papel mais célebre foi o de Ilda em Os Verdes Anos (1963), filme que marcou a afirmação de uma nova vaga do cinema português. Tornou-se numa das intérpretes mais requisitadas pelos realizadores contemporâneos. Trabalhou com Paulo Rocha, em Mudar de Vida (1967) e O Rio do Ouro (1998), sob as ordens de João Botelho, em Conversa Acabada (1982) e Tempos Difíceis (1988), com Fernando Lopes, em O Delfim (2002), e foi uma das atrizes prediletas de Manoel de Oliveira, que a dirigiu em Vale Abraão (1993), A Caixa (1996), Viagem ao Princípio do Mundo (1997), Inquietude (1998), Je Rentre à la Maison (Vou Para Casa, 2001) e O Princípio da Incerteza (2002). Os seus trabalhos televisivos foram raros, destacando-se a sua presença na telenovela Ajuste de Contas (2000), onde deu corpo a uma mulher desequilibrada mentalmente. Das suas aparições teatrais, destacam-se O Impostor-Geral (1965), onde trabalhou ao lado de Raul Solnado e Armando Cortez, Braço Direito Precisa-se (1966), de Manuel Pressler, onde contracenou com Barroso Lopes e Francisco Nicholson, e Desculpe Se o Matei (1966), novamente contracenando com Raul Solnado.
Como referenciar: Isabel Ruth in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-07-18 05:34:46]. Disponível na Internet: