IV Crónica Breve

Manuscrito da segunda metade do século XV, oriundo do mosteiro de Santa Cruz de Coimbra, que se conserva na Biblioteca Municipal do Porto e que constitui um fragmento da Crónica Galego-Portuguesa de España y Portugal, redigida em cerca de 1342 e citada por Cristóvão Rodrigues Acenheiro na primeira metade do século XVI. Este registo historiográfico relata um período da vida do primeiro rei de Portugal, que compreende: as recomendações do moribundo conde D. Henrique ao seu filho, instituindo-o como seu sucessor; as lutas de D. Afonso Henriques contra a mãe e o padrasto e a vitória graças à intervenção de Soeiro Mendes; a guerra de D. Afonso Henriques com o Imperador; o conflito entre o rei e o bispo de Coimbra e o desastre de Badajoz onde se cumpre uma maldição materna. António José Saraiva considera que a IV Crónica Breve se inclui numa tradição épica em língua portuguesa, obra de jograis galego-portugueses e desencadeada a partir do infortúnio de Afonso Henriques em Badajoz, situando o seu aparecimento numa data não muito posterior a 1169. Deste modo, este poema, que se insere num ciclo de tradições épicas sobre as origens do reino de Portugal, constituiria a afirmação da legitimidade da autonomia do reino português, protagonizada num herói, Afonso Henriques.
Como referenciar: IV Crónica Breve in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-18 07:32:08]. Disponível na Internet: