Ivor Cutler

Poeta, compositor, letrista e humorista escocês, nascido a 15 de janeiro de 1923, em Glasgow, e falecido a 3 de março de 2006, tornou-se muito famoso no reino Unido como músico e poeta a partir de finais da década de 50.
Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, serviu a força aérea britânica, mas ao fim de pouco tempo foi dispensado.
Em meados da década de 50 passou a viver em Londres onde lecionou música, dança, teatro e poesia a crianças entre os sete e os onze anos. No final da década de 50, Cutler começou a escrever letras de músicas e poesia e em 1959 fez a sua estreia na rádio, na BBC, no programa Monday Night at Home, onde marcou presença regular até 1963. Cutler tornou-se muito popular a interpretar canções onde ele próprio tocava harmónica. Ainda em 1959 lançou o primeiro de muitos discos, Ivor Cutler of Y'Hup.
Durante a década de 60 continuou a participar em programas de rádio da BBC, onde foi visto por Paul McCartney que o convidou a entrar no filme dos Beatles Magical Mystery Tour, de 1967. Cutler representou o papel de um motorista de autocarro. Logo após a participação no filme, Ivor Cutler lançou o seu segundo disco, Ludo, produzido por George Martin, o produtor dos Beatles.
Em 1969 participou pela primeira vez no programa musical de televisão John Peel Sessions, uma emissão bastante popular que divulgou inúmeros talentos musicais.
Em 1974 Cutler cantou e tocou harmónica em duas faixas do LP de Robert Wyatt Rock Bottom. Ivor Cutler viria a assinar contrato com a editora de Wyatt, a Virgin, para a qual gravou três discos até finais dos anos 70, Dandruff, Velvet Donkey e Jammy Smears.
Ainda em 1978 Ivor Cutler lançou um disco de declamação, Life in a Scotch Sitting Room vol.2 (não houve primeiro volume), composto por gravações feitas nas Peel Sessions. Nesta obra, algo autobiográfica, contava histórias da sua infância. Em 1984 lançou uma versão em livro.
Na década de 80 lançou mais três álbuns de música (Privilege, Prince Ivor e Gruts) para em 1997 e 1998 lançar dois discos com poesia declamada, A Wet Handle e A Flat Man (1998).
Paralelamente à música e à poesia, Ivor Cutler foi professor até 1980 e escreveu livros infantis e para adultos.
Como referenciar: Ivor Cutler in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-08-12 10:18:21]. Disponível na Internet: