Jacinto Ramos

Ator português nascido em 1929 e falecido a 3 de novembro de 2004. Iniciou a sua carreira artística em 1947 quando venceu um concurso para locutores, tendo ingressado no Rádio Clube Português. Entrou para o Conservatório Nacional, de onde saiu em 1949 para entrar para os quadros do Teatro Nacional. Estreou-se no cinema interpretando a heroica figura de Mouzinho de Albuquerque, em Chaimite (1953). Voltou a dar o seu contributo em Vidas Sem Rumo (1956), um dos primeiros exemplos do Cinema Novo português, e em Manhã Submersa (1980), como Padre Martins. Foi um dos pioneiros da RTP, tendo participado em inúmeras peças teatrais exibidas em direto. Em 1962, aventurou-se na realização com Noturno. Após a Revolução dos Cravos, fundou a companhia teatral Teatro no Nosso Tempo, ao mesmo tempo que interpretou Benilde ou a Virgem Mãe (1975), de Manoel de Oliveira. No Teatro Nacional, assumiu também as funções de encenador, em peças como Gin Game (1979) e Longa Viagem Para a Noite (1983). Na televisão, foi presença assídua em telenovelas como Origens (1984), Palavras Cruzadas (1986) e A Banqueira do Povo (1993) e séries como Ricardina e Marta (1990).
Recebeu em 1994 o grau de Comendador da Ordem Militar de Santiago de Espada.
Como referenciar: Jacinto Ramos in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-03-26 08:55:48]. Disponível na Internet: