James Stewart

Ator norte-americano, um dos principais do cinema norte-americano, nascido em 20 de maio de 1908, em Indiana, e falecido em 2 de julho de 1997, em Los Angeles. Notabilizou-se pelas suas representações de personagens tímidas mas com um carácter firme e corajoso. Enquanto estudava Engenharia Civil na Universidade de Princeton, começou a trabalhar num grupo de teatro de Joshua Logan, ao qual também pertenciam Henry Fonda e Margaret Sullavan. Em 1932, juntamente com Fonda, partiu para Nova Iorque, onde alcançou alguns papéis na Broadway. Pela influência de amigos, conseguiu entrar para a MGM, estreando-se com uma figuração em Art Trouble (1934). Após alguns papéis secundários, foi Frank Capra quem projetou a sua carreira, primeiro com You Can't Take it With You (Não o Levarás Contigo, 1938) e, depois, com o êxito de Mr. Smith Goes to Washington (Peço a Palavra, 1939), onde protagonizou um jovem idealista que é eleito para o Senado e tenta combater a corrupção aí existente. O seu desempenho tornou-o uma figura bastante popular nos Estados Unidos da América e granjeou-lhe uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator. Seguiu-se uma série de êxitos comerciais, dos quais se destaca The Philadelphia Story (Casamento Escandaloso, 1940), onde desempenhou um jornalista que se apaixona por uma mulher emancipada (Katherine Hepburn). A sua prestação neste filme permitiu-lhe vencer o Óscar para Melhor Ator Principal. Stewart juntou-se às forças americanas que combatiam na Segunda Guerra Mundial, tendo servido na Força Áerea como piloto bombardeiro. O conflito mudou a personalidade de Stewart, que, nos filmes anteriores, demonstrava uma faceta de timidez. Era agora um ator mais intenso e começou a aceitar desempenhar personagens de maior complexidade psicológica. Provou-o em It's a Wonderful Life (Do Céu Caiu uma Estrela, 1946) na pele dum banqueiro altruísta que é salvo do suicídio pelo seu anjo da guarda. Recebeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator que repetiria quatro anos depois pelo seu retrato de alcoólico em Harvey (1950). Pouco anos antes, tinha iniciado aquela que viria a ser uma frutuosa parceria com Alfred Hitchcock. O realizador britânco conferirá a Stewart um segundo fôlego na sua carreira: o seu primeiro filme juntos será Rope (A Corda, 1948), seguindo-se Rear Window (Janela Indiscreta, 1954), The Man Who Knew Too Much (O Homem que Sabia Demais, 1956) e Vertigo ( A Mulher Que Viveu Duas Vezes, 1958). Mas seria Otto Preminger a dar-lhe um dos papéis mais memoráveis da sua carreira como o espirituoso advogado de Anatomy of a Murder (Anatomia de um Crime, 1959), prestação que lhe valeu a quinta nomeação para o Óscar de Melhor Ator. Destacar-se-ia também em dois westerns de John Ford: The Man Who Shot Liberty Valance (O Homem Que Matou Liberty Valance, 1962) e foi um envelhecido Wyatt Earp em Cheyenne Autumm (O Grande Combate, 1964). Nas décadas seguintes, filmou esporadicamente, destacando-se The Shootist (O Atirador, 1976), ao lado de John Wayne. O seu último trabalho artístico foi no filme de animação An American Tail: Fievel Goes West (Fievel: um Conto Americano 2, 1991).
Como referenciar: James Stewart in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-23 06:31:05]. Disponível na Internet: