Jane Wyman

De seu verdadeiro nome Sarah Jane Mayfield, a atriz nasceu a 4 de janeiro de 1914, na pequena cidade de Saint Joseph, nos Estados Unidos da América, e faleceu a 10 de setembro de 2007, em Palm Springs, Califórnia. Filha da obscura atriz do cinema mudo Lejerne Pichelle, ainda chegou a fazer testes de câmara com a mãe em 1921, mas os produtores consideraram que lhe faltava presença. Regressou ao mundo artístico em 1932, onde, sob o nome de Jane Durrell, se tornou uma cantora de rádio. Foi chamada a Hollywood para se estrear num minúsculo papel na comédia The Kid From Spain (Toureiro À Força, 1932). Depois de uma série de participações pouco significativas, teve o seu primeiro papel de protagonista em The King and The Chorus Girl (O Rei e a Corista, 1937). Conheceu o ainda ator Ronald Reagan durante as filmagens de Brother Rat (O Diabo São os Rapazes, 1938), com quem contraiu matrimónio dois anos depois. Nos anos 40 e 50, Wyman tornou-se uma das estrelas mais requisitadas pelos grandes realizadores de Hollywood: o seu primeiro intenso trabalho dramático foi ao lado de Ray Milland, em The Lost Weekend (Farrapo Humano, 1945). Com o filme juvenil The Yearling (O Despertar, 1946), recebeu a sua primeira nomeação para o Óscar de Melhor Atriz por uma mulher do campo, mãe de um rapaz que estabelece uma grande amizade com um cervo. A atriz não teve que esperar muito pela consagração: o papel de uma surda-muda que sofre uma violação em Johnny Belinda (Belinda, a Escrava do Silêncio, 1948) valeu-lhe o Óscar de Melhor Atriz. No mesmo ano, divorciou-se de Reagan. Apesar disso, o prémio proporcionou-lhe a possibilidade de trabalhar com os realizadores mais credenciados de então, como Alfred Hitchcock, em Stage Fright (Pavor nos Bastidores, 1950), e Frank Capra, em Here Comes the Groom (A Sorte Bate à Porta, 1951). Na década de 50, o melodrama foi o seu principal campo de trabalho: obteve nomeações para o Óscar por The Blue Veil (O Véu Azul, 1951) e Magnificent Obsession (Sublime Expiação, 1954) e reconhecimento crítico por All That Heaven Allows (O Que o Céu Permite, 1955). Os sucessivos escândalos pessoais e divórcios prejudicaram bastante a sua carreira: na década de 60, participou apenas em três filmes, o último dos quais marcaria a sua despedida do cinema: How to Commit Marriage (1969), uma medíocre comédia em que contracenou com o humorista Bob Hope. A partir daí, encontrou refúgio na televisão, onde, entre outros trabalhos, protagonizou a série Falcon Crest (1981-90) encarnando uma matriarca milionária e sem escrúpulos que luta por manter um império vinhateiro.
Como referenciar: Jane Wyman in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-20 15:11:01]. Disponível na Internet: