Jean Moulin

Político e resistente antinazi francês nascido a 20 de junho de 1899, em Béziers. Enveredando pela carreira administrativa, conheceu um percurso admirável e algo fulgurante. Foi, em 1926, o subprefeito mais jovem da França e, 11 anos mais tarde, o prefeito mais novo, aquando da sua nomeação para Chartres. Nestas funções, negou-se, em junho de 1940, a assinar um documento que os alemães lhe apresentaram. De facto, o conteúdo do mesmo era extremamente sórdido, pois acusava as tropas francesas de cor (das colónias afro-americanas) de cometerem atrocidades. Perante esta recusa, o Governo "colaboracionista" de Vichy destituiu-o das suas funções, o que o impeliu a partir para Londres nos finais de 1941. Aliás, na capital inglesa, o General De Gaulle nomeou-o delegado pela zona não ocupada de França, tendo como missão reunir e organizar os vários movimentos de resistência às ordens do Comité de Londres.
Os seus trabalhos levaram, assim, à formação do Conselho Nacional da Resistência (maio, 1943), de que foi o primeiro presidente.
Devido a uma traição, foi cair nas mãos da GESTAPO, polícia alemã, na localidade de Caluire, no primeiro dia do verão de 1943, vindo a morrer na transferência para a Alemanha, a 8 de julho do mesmo ano. Os seus restos mortais repousam no Panteão de França desde 1964.
Como referenciar: Jean Moulin in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 19:45:02]. Disponível na Internet: