Jeff Bridges

Ator norte-americano, Jeffrey Leon Bridges nasceu a 4 de dezembro de 1949, em Los Angeles. Originário de uma família de atores (seu pai, Lloyd, e seu irmão, Beau), não surpreendeu que a sua estreia no cinema fosse feita em tenra idade, com apenas dois meses, numa figuração no filme The Company She Keeps (1950). Durante a adolescência, apareceu em alguns programas televisivos, quase sempre no papel de jovem rebelde. Inesperadamente, conseguiu uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator Secundário pela sua interpretação de Duane Jackson, um adolescente ambicioso que deseja abandonar a sua pequena cidade em The Last Picture Show (A Última Sessão, 1971), de Peter Bogdanovich. Lançava-se de vez para assumir os papéis de protagonista. Trabalhou com John Huston em Fat City (Cidade Viscosa, 1972) e surpreendeu no papel de pugilista protegido de Stacy Keach. Voltou à noite dos Óscares, novamente na categoria de Melhor Ator Secundário por Thunderbolt and Lightfoot (A Última Golpada, 1974), onde, ao lado de Clint Eastwood, desempenhou o papel de um vigarista corrosivo. Bridges continuou na senda do sucesso: protagonizou o remake de King Kong (1976) e o thriller político Winter Kills (Pela Mira da Espingarda, 1979). Contudo, o enorme insucesso comercial do western Heaven's Gate (As Portas do Céu, 1980) afetou a sua carreira, levando-o a uma curta travessia do deserto, que superaria com o sucesso de Against All Odds (Vidas em Jogo, 1984) e a nomeação para o Óscar de Melhor Ator em Starman (O Homem das Estrelas, 1984), onde recriou a figura de um extraterrestre que encarna na figura de um homem falecido. Em seguida, liderou uma série de filmes policiais: Jagged Edge (O Fio do Suspeito, 1985), Eight Million Ways to Die (Oito Milhões de Maneiras Para Morrer, 1986) e The Morning After (A Manhã Seguinte, 1986). Francis Ford Coppola conferiu-lhe em seguida um dos melhores papéis da sua carreira, o de fabricante de automóveis, em Tucker (Um Homem e o seu Sonho, 1988). Contracenou com o seu irmão Beau em The Fabulous Baker Boys (Os Fabulosos Irmãos Baker, 1988), onde, ao lado de uma inesquecível Michelle Pfeiffer, recria o ambiente de um piano-bar, num filme que rapidamente granjearia a aura de título de culto. Depois de protagonizar Texasville (1990), a sequela de A Última Sessão, e de contracenar com Robin Williams em The Fisher King (O Rei Pescador, 1991), conseguiu obter ainda bons desempenhos em filmes como The Vanishing (A Desaparecida, 1993), Blown Away (Chuva de Fogo, 1994), The Mirror Has Two Faces (As Duas Faces do Espelho, 1996), The Big Lebowski (O Grande Lebowski, 1998) e Seabiscuit (2003).
Em 2009, Jeff Bridges interpretou o papel de Bad Blake no filme Crazy Heart (Coração Louco, 2009) de Scott Cooper. A sua representação valeu-lhe o Óscar de melhor Ator Principal.
Como referenciar: Jeff Bridges in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-07-06 17:30:25]. Disponível na Internet: