João Garcia

Alpinista português, João Garcia nasceu em 1968, na cidade de Lisboa. Iniciou-se na escalada em rocha na Serra da Estrela, quando tinha 16 anos, através de um contacto com o Clube de Montanhismo da Guarda. Passou à escalada em neve e gelo em 1983, nos Alpes, e, dez anos mais tarde, integrou uma expedição internacional ao monte Cho-Oyo (8201 metros), no Tibete. Chegou ao topo sem recorrer a oxigénio e, no ano seguinte, decidiu repetir o feito numa outra expedição internacional, desta feita ao monte Dhaulagiri (8167 metros), no Nepal. Tornou-se, por isso, no primeiro português a escalar duas montanhas com mais de oito mil metros de altitude sem usar máscara de oxigénio.
Em 1997 tentou, pela primeira vez, escalar o monte Evereste (8848 metros) - pisado pela primeira vez em 1956, pelo inglês Sir Edmund Hillary - mas o mau tempo impediu-o de chegar ao topo. No ano seguinte, voltou a tentar, mas apenas conseguiu chegar aos 8200 metros e, mesmo assim, ficou com geluras (queimaduras provocadas pelo frio) no nariz. Em 1999, juntamente com o belga Pascal Debrouwer, João Garcia voltou a tentar chegar ao topo do Evereste e, desta vez, conseguiu atingi-lo, novamente sem a ajuda de oxigénio. Pascal Debrouwer, no entanto, caiu numa ravina durante a descida e morreu. João Garcia teve de ser internado num hospital de Saragoça, em Espanha, especializado em queimaduras de segundo e terceiro grau, onde lhe amputaram alguns dedos de uma mão.
Este feito colocou João Garcia na galeria de alpinistas que subiram ao monte mais alto do mundo e que é composta por oito centenas de pessoas, fazendo com que o seu nome figurasse entre as seis dezenas de escaladores que lá chegaram sem oxigénio. Destes 60, metade morreu. João Garcia já subiu várias vezes o Monte Branco, nos Alpes. Escala frequentemente em Yosemite, no Alasca, nos Andes e no Atlas. Entre os montes mais importantes que já escalou, para além das três montanhas já referidas com mais de oito mil metros, estão a Shishapangma, face sul, (7500 metros), nos Himalaias, em 1993, a Nanga Parbat (7600 metros), também nos Himalaias, em 1996, a Aconcágua (6959 metros), nos Andes, em 1996, a Ama Dablam (6856 metros), igualmente nos Himalaias, em 1997, e a terceira montanha mais alta dos Himalaias, a Kangchenjunga (8586 metros), a montanha mais a ocidente, em 2006.
A sedução pelas montanhas, que conheceu desde muito novo com o pai, que é piloto de aviação, fez com que fizesse do alpinismo o seu modo de vida. Foi militar ao serviço da Nato, tendo passado duas comissões nos Alpes, o que lhe valeu alguma experiência em matéria de alpinismo. Desde 1998, é guia de alta montanha da agência «Montagnes du Monde», com sede na Bélgica e escritório em Kathmandu, a capital do Nepal.
Depois de ter conseguido chegar ao topo do Evereste, a Secretaria de Estado do Desporto portuguesa decidiu atribuir-lhe uma medalha de mérito desportivo e um apoio financeiro idêntico ao que recebem os campeões do mundo noutras modalidades.
Como referenciar: João Garcia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-09-19 17:43:24]. Disponível na Internet: