João Lagarto

Ator português, João Lagarto nasceu a 5 de outubro de 1954. Frequentou durante três anos o Conservatório Nacional, em Lisboa, e estreou-se no palco do Parque Mayer na revista Uma no Cravo, Outra na Ditadura, ao lado de Herman José, Nicolau Breyner e Ivone Silva. Em 1975, foi um dos fundadores do Centro Cultural de Elvas, onde participou em várias peças. Trabalhou em diversos grupos de teatro, como os Bonecreiros; Os Saltitões; Maizum (do qual foi fundador); Contrarregra; Oficina de Teatro e Dança; e Alta Recreação (também um dos fundadores).
Das muitas peças em que participou, destacam-se D. João e a Máscara; O Amante, de Harold Pinter; Dança de Roda, de Arthur Schnitzler; O Indesejado, de Jorge de Sena; A Floresta, de Ostrowsky; De Faca e Alguidar, do próprio; e Jantar de Idiotas, da autoria do francês Francis Veber.
Em televisão, destacam-se as suas participações em vários êxitos de público, como as telenovelas A Banqueira do Povo (1993), de Walter Avancini, Terra Mãe e Os Lobos (ambas de 1998); as séries Polícias, de Jorge Paixão da Costa, Ballet Rose - Vidas Proibidas (1998), de Leonel Vieira; e a sitcom de Jorge Paixão da Costa Não És Homem Não És Nada (1999).
No cinema, estreou-se em 1978 com Histórias Selvagens, de António Campos. Colaborou com o realizador Luís Filipe Rocha em vários filmes: Amor e Dedinhos de Pé (1991), Sinais de Fogo (1995) e Adeus Pai (1996). Participou ainda em filmes como Mortinho por Chegar a Casa (1996), de Carlos da Silva e Jorge Sluizer, Tentação (1997), de Joaquim Leitão, e A Falha (2002), de João Mário Grilo.
Como referenciar: João Lagarto in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-06-16 22:18:44]. Disponível na Internet: