João Rui de Sousa

Poeta português nascido a 12 de outubro de 1928, em Lisboa. Tirou o curso da escola agrícola D. Dinis e fez a licenciatura em Ciências Histórico-Filosóficas na Faculdade de Letras de Lisboa. Desenvolveu atividade profissional na Biblioteca Nacional, foi membro do Centro Português da Associação Internacional de Críticos Literários e júri de diversos prémios de poesia. Colaborou com crítica literária e criação poética em inúmeras publicações, entre as quais Colóquio/Letras, JL, O Tempo e o Modo, Seara Nova, Crítica, Folhas de Poesia, Bandarra, Cronos, Nova Renascença, entre outras. Co-dirigiu, em 1955, com António Carlos, António Ramos Rosa, José Bento e José Terra, a revista Cassiopeia. Embora a estreia em livro date de 1960, com Circulação, a sua revelação poética deu-se na década anterior, nas páginas de Cassiopeia, Cadernos do Meio-Dia e Notícias do Bloqueio, integrando uma geração poética que assimila e supera as estéticas surrealista e neorrealista e que tende para recusar todo o tipo de tentação de facilidade, seja a nível rítmico, seja a nível da expressão imagética, vocacionando-se para a fixação do real num enquadramento de reflexão ontológica.
Como referenciar: João Rui de Sousa in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2021. [consult. 2021-05-10 05:24:29]. Disponível na Internet: