João XIX

Papa italiano, irmão de Bento VIII, tinha o cargo de cônsul, sendo portanto um laico. Assim, quando foi eleito (sem se esperar a confirmação do imperador) tiveram de lhe ser ministradas todas as ordens necessárias. O seu papado ocorreu de 19 de abril de 1024 a 20 de outubro de 1032.
Este papa deu à abadia de Cluny o máximo privilégio de não estar sujeita a sanções, como a excomunhão, emanadas de bispos. Os monges desta abadia desempenharam um importante papel junto a João XIX, uma vez que este papa esteve a ponto de aceder ao pedido do imperador oriental Basílio II e outorgar ao patriarca de Bizâncio o título de ecuménico, que o colocaria em pé de igualdade com o pontífice de Roma. Contudo, os monges cluniacenses conseguiram anular o efeito persuasor que os tesouros oferecidos pela embaixada de Basílio II tinham causado no papa.
No dia 26 de março de 1027 Conrado II foi coroado imperador, sucedendo assim a Henrique II. Nesta ocasião encontrava-se também presente o rei Knut da Dinamarca e de Inglaterra, que conseguiu do papa a substituição da contribuição que uma sede devia dar ao papa ao receber o pallium por contribuições anuais de importância menor.
O imperador Conrado tomou liberalmente decisões sobre as quais o papa deveria ter sempre a última palavra. Foi desta forma que o abade de Reichenau teve de prescindir das vestes episcopais que usava nos ofícios e que Aquileia se tornasse uma sede metropolita.
Como referenciar: João XIX in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-10-25 17:40:08]. Disponível na Internet: