Joaquim Alves Correia

Sacerdote da Congregação do Espírito Santo, escritor e jornalista nascido a 5 de maio de 1886, no concelho de Aguiar de Sousa, atual concelho de Paredes, distrito do Porto.
Em outubro de 1910, foi ordenado sacerdote e, desde essa data até 1919, foi missionário da Congregação do Espírito Santo, na Nigéria. A partir de 1922, em Lisboa, desempenhou as funções de procurador dos padres do Espírito Santo, interrompendo-as durante três anos para exercer as funções de superior do Seminário de Teologia da mesma congregação, em Viana do Castelo. Teve um importante desempenho nos territórios ultramarinos e apoiou as missões portuguesas em África. Em 1945, exilou-se nos Estados Unidos da América devido às suas ideologias.
Colaborou para várias revistas e jornais, dirigiu a revista Missões de Angola e Congo, entre 1920 e 1932, e foi responsável pela secção de crítica literária de Novidades, entre 1925 e 1932. Autor de vários títulos de propaganda religiosa, publicou algumas obras, como Civilizando Angola e Congo (1922), Evangelizadores do Trabalho (1923), A Largueza do Reino de Deus (1931) e Consciência Cristã (1949), entre outras.
Joaquim Alves Correia faleceu a 1 de junho de 1951, em Pittsburgo, no estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos da América.
Como referenciar: Joaquim Alves Correia in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-07 19:58:02]. Disponível na Internet: