John Barrymore

Ator norte-americano nascido a 14 de fevereiro de 1882, em Filadélfia, e falecido a 29 de maio de 1942, na Califórnia, vítima de cirrose hepática. Era o elemento mais novo do famoso clã Barrymore, composto também por Lionel e Ethel, que dominaram os palcos da Broadway e as telas de Hollywood durante os anos 20. Proveniente duma família de larga tradição teatral, estreou-se nos palcos em 1903 e depressa chegou à categoria de galã devido à sua fluência, elegância e bom aspeto. Nessa condição, foi um dos heróis românticos do cinema mudo, estreando-se em An American Citizen (1914), protagonizando depois sucessos como The Red Widow (1916), Sherlock Holmes (1922) e Beau Brummel (1924). O pico da sua popularidade foi atingido com Don Juan (1926). Com o advento do som, os papéis de galã foram escasseando, mas Barrymore continuava a ser requisitado para grandes produções, muito devido à sua fleuma e presença na tela. Como tal, incorporou o Capitão Ahab, em Moby Dick (1930), e liderou o elenco de Grand Hotel (Grande Hotel, 1932), onde trabalhou ao lado do seu irmão Lionel e de estrelas como Greta Garbo e Joan Crawford. Quase simultaneamente, começou a tornar-se público o seu alcoolismo, que lhe provocou graves problemas pessoais e de saúde. Durante as filmagens de Romeo and Juliet (Romeu e Julieta, 1936), onde interpretou a figura de Mercúcio, revelou grandes problemas em memorizar as suas falas, tendo de proferi-las através da leitura de cartazes espalhados pela cena. À medida que os seus filmes foram perdendo público, Barrymore regressou à Broadway, onde se reencontrou com os triunfos. A comédia musical Playmates (1941) foi o seu último filme, tendo morrido poucos meses depois. A sua família foi recriada no filme The Royal Family of Broadway (A Família Real da Broadway, 1930), onde Frederic March desempenhou o seu papel.
Como referenciar: John Barrymore in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-06-04 02:13:39]. Disponível na Internet: