John Boorman

Realizador britânico nascido a 18 de janeiro de 1933, em Londres. Apesar de nascer no seio de uma família anglicana, foi educado numa escola católica, porque os seus pais consideravam que os seus professores não seriam requisitados para a Segunda Guerra Mundial. Trabalhou como empregado de lavandaria e crítico num jornal feminino antes de entrar para a BBC, em 1955, como assistente de montagem. No início da década de 60, conseguiu autorização do canal para realizar uma série de documentários cuja qualidade foi elogiada pelos produtores. O seu primeiro trabalho como realizador de ficção foi em Having a Wild Weekend (1965), um musical protagonizado pelo grupo pop britânico Dave Clark Five que, teve resultados algo modestos nas bilheteiras. Apesar disso, os seus laços de amizade com o ator Lee Marvin levaram-no a Hollywood, onde Marvin fez pressão junto dos produtores para que Boorman fosse o designado para dirigir o thriller Point Blank (À Queima-Roupa, 1967). O filme foi bem sucedido, tendo a dupla voltado a trabalhar em conjunto em Hell in the Pacific (Duelo no Pacífico, 1968). Fez um regresso esporádico a Inglaterra para filmar Leo the Last (1970), título que lhe valeu o Prémio para Melhor Realizador no Festival de Cannes e cuja ação se centra na figura de um aristocrata decadente (Marcello Mastroianni) que abandona a sua mansão para privar com os "ghettos" londrinos. Já com algum prestígio, voltou a Hollywood para dirigir aquele que foi o seu maior êxito comercial, Deliverance (Fim-de-Semana Alucinante, 1972), a história de quatro amigos empresários de Atlanta que decidem fazer um passeio de canoa num fim de semana, mas são feitos prisioneiros por psicopatas. O filme surpreendeu as plateias pela sua violência e discurso narrativo simples, algo que Boorman não conseguiu reproduzir no seu filme seguinte: Zardoz (1974), uma parábola futurista protagonizada por Sean Connery e Charlotte Rampling e que foi um fiasco de bilheteira. Os resultados não foram muito melhores em Exorcist II - The Heretic (Exorcista II - O Herege, 1977), continuação do filme original, que, apesar da qualidade interpretativa de Richard Burton, ficou muito longe da qualidade do primeiro título. Foi no seu país natal que Boorman recuperou destes dois desaires, montando um épico medieval centrado na lenda do Rei Artur, Excalibur (1981). O filme foi um sucesso e motivou-o a assumir outros projetos: o filme juvenil The Emerald Forest (A Floresta Esmeralda, 1985) e, sobretudo, Hope and Glory (Esperança e Glória, 1987), um olhar autobiográfico sobre Londres durante os bombardeamentos da Segunda Grande Guerra, que lhe valeu uma nomeação para o Óscar de Melhor Realizador. Os seus trabalhos seguintes foram dececionantes, tendo voltado ao seu melhor nível com The Tailor of Panama (O Alfaiate do Panamá, 2001), uma história de espionagem encabeçada por Geoffrey Rush, Pierce Brosnan e Jamie Lee Curtis.
Como referenciar: John Boorman in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-06-01 22:22:51]. Disponível na Internet: