John Lee Hooker

Músico e cantor de blues norte-americano nascido a 17 de agosto de 1920, em Clarksdale, no estado do Mississípi.
Hooker aprendeu a tocar guitarra com o padrasto, que tinha alguns amigos músicos de blues. Aos 14 anos, saiu de casa para se alistar no Exército, mas só lá esteve três meses. Começou então a dedicar-se à música, tendo acompanhado como guitarrista alguns grupos de gospel.
Entretanto, já em 1943 foi trabalhar para uma fábrica de automóveis em Detroit. À noite tocava em bares e acabou por chamar a atenção de detetores de talentos, que levaram à assinatura de um contrato com uma editora de Los Angeles, em 1948.
Em novembro desse ano gravou Boogie Chillen, onde cantava acompanhado apenas pela sua guitarra. O disco, com um som inovador para a época, onde o cantor parecia mastigar as palavras, vendeu mais de um milhão de unidades.
Até 1954, e sob diferentes pseudónimos, gravou mais de 70 singles em 21 editoras diferentes, tendo feito sucesso, especialmente com "Crawlin' King Snake" e "I'm in the Mood".
Em 1955, Hooker mudou-se para Chicago, cidade que funcionava na altura como capital do blues, e, no final da década de 50, já era uma das grandes estrelas deste género musical, graças ao seu estilo puro.
O sucesso estendeu-se até Inglaterra, onde esteve em 1962 para uma série de concertos na companhia de outras estrelas do blues.
Em 1971, conseguiu lançar pela primeira vez um álbum que fez história nos tops de vendas, Hooker 'n' Heat, gravado a meias com os Canned Heat, mas a partir daí a sua carreira entrou em decadência.
Somente em 1989 é que Hooker regressou ao topo, com a chegada do álbum The Healer, onde apareceram como músicos convidados artistas como Carlos Santana e Los Lobos. Nesse mesmo ano, ganhou um grammy, um dos principais prémios musicais norte-americanos, graças ao dueto com Bonnie Raitt no tema "I'm in the Mood".
Hooker teve um verdadeiro regresso ao ativo, pois a partir daí multiplicou as gravações com artistas conceituados, como Keith Richards e Van Morrison.
Em 1995, com 75 anos, anunciou que deixava de fazer espetáculos ao vivo, ao mesmo tempo que lançava mais um disco, este chamado Chill Out.
Dois anos depois, voltou ao estúdio para gravar Don't Look Back, um disco produzido por Van Morrison, onde foi recuperada outra lenda do blues, Charles Brown.
No ano de 1998, gravou The Best Of Friends, uma compilação de alguns dos seus temas, na companhia de nomes consagrados da música, como Carlos Santana, Eric Clapton, Ry Cooder, Van Morrison, Booker T. Jones, Bonnie Raitt e Ben Harper.
Já em 2000, Hooker recebeu um grammy especial pela sua carreira, onde pontifica a gravação de mais de 100 álbuns.
John Lee Hooker faleceu a 21 de junho de 2001, na sua casa de Los Altos, na Califórnia.
Desde então foram editados diversos espetáculos e várias compilações da sua extensa obra.
Como referenciar: Porto Editora – John Lee Hooker na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-09-19 17:15:48]. Disponível em