Johnny Clegg

Guitarrista inglês, Johnny Clegg nasceu a 7 de junho de 1953, em Rochdale. Foi criado na terra natal da sua mãe, o Zimbabwe, antes de emigrar para a África do Sul, com nove anos de idade. Com 14 anos de idade aprendeu a tocar guitarra e conheceu Charlie Mzila, um empregado de limpeza que pertencia ao clã Zulo (do quicongo zulu, "céu") e tocava guitarra na rua. Durante dois anos, Clegg aprendeu os princípios básicos da música Zulo. Sempre com a sua guitarra, Clegg acompanhava Charlie a todos os abrigos de imigrantes. Tudo isto levou a que, muitas vezes, o seu envolvimento com músicos negros o fizesse acabar na cadeia, por invadir propriedade privada. Neste difícil e complexo contexto político, Clegg conseguiu penetrar no mundo escondido dos trabalhadores Zulos. Durante este período desenvolveu uma reputação de um competente guitarrista Zulo da tradição Masikande.
Tudo isto chegou aos ouvidos de Sipho Mchunu, um imigrante Zulo que tinha chegado em 1969 a Joanesburgo à procura de trabalho. Intrigado, desafiou Clegg para uma competição de guitarra. Foi o início de uma longa amizade. Pela primeira vez, Clegg tocava com um músico de rua da sua idade. Clegg tinha 16 e Sipho tinha 18.
Juntos começaram a compor, lutando à sua maneira contra os abusos racistas e combatendo o apartheid. Entretanto, Johnny foi para a universidade, graduando-se em Antropologia Social, e começou a dar aulas, primeiro na Universidade de Witwatersrand, depois na Universidade de Natal.
Em 1976, Johnny e Sipho conseguiram um bom contrato com uma editora e gravaram o seu primeiro single, Woza Friday. Seguiu-se um período de amadurecimento durante o qual Johnny trabalhava a conciliação das letras inglesas e melodias ocidentais com as estruturas musicais Zulo. Assim, formaram os Juluka, numa total contravenção às regras em vigor que defendiam a separação de raças, culturas e linguagem. Viram as suas músicas censuradas e banidas e a única forma de o público ter acesso às mesmas era através dos concertos. Em 1979, editaram o seu primeiro álbum, Universal Men.
Esta ligação durou seis anos, até 1985, data em que se separaram. Sipho voltou para o território Zulo, enquanto Johnny ingressava numa outra banda, os Savuka, que misturava música africana com música celta. Em 1989, a convite de Sipho, Johnny Clegg produziu o seu primeiro álbum, que levou Sipho numa digressão por África e França. Sipho ainda gravou um segundo álbum, depois do qual descontinuou a sua carreira a solo.
Em 1991, Johnny Clegg foi distinguido com o galardão de Cavaleiro das Artes e Letras pelo governo francês.
Com o fim dos Savuka, em 1993, estavam criadas as condições para uma reunião dos Juluka. E assim, em 1996, foi editado o álbum Ya Vuka Inkunzi que, marcando o regresso da banda, reflete uma enorme variedade de estilos africanos, quer modernos quer tradicionais.
Como referenciar: Johnny Clegg in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-08-24 05:13:04]. Disponível na Internet: