Jon Voight

Um dos mais premiados atores norte-americanos, Jonathan Voight, de seu verdadeiro nome, nasceu a 29 de dezembro de 1938, no bairro de Yonkers, em Nova Iorque. Filho de um jogador de golf profissional, seguiu os estudos na "Big Apple". Estreou-se como ator na Broadway, na peça musical The Sound of Music, em 1961, e desempenhou alguns papéis em séries televisivas. Em termos cinematográficos, iniciou-se pela mão do realizador John Sturges no western Hour of the Gun (Duelo de Morte, 1967), embora com um papel de pouco relevo. Depois de um papel de destaque em Fearless Frank (Luta Contra o Demónio, 1969), Voight teve a sua grande oportunidade em Midnight Cowboy (O Cowboy da Meia-Noite, 1969), interpretando Joe Buck, um provinciano que decide emigrar para Nova Iorque e tornar-se um gigolo profissional. O seu retrato semi-rústico de um homem que entra em progressiva decadência física e moral valeu-lhe a nomeação para o Óscar para Melhor Ator. Voight perdeu o galardão porque 1969 foi o ano da reconciliação da Academia com John Wayne, mas continuou a dedicar-se à representação, protagonizando títulos como Deliverance (Fim-de-Semana Alucinante, 1972) e The Odessa File (O Caso Odessa, 1976). Aos poucos, Voight consolidava a sua carreira, mas não conseguia convencer os grandes produtores de Hollywood que se recusavam a chamá-lo para as grandes produções. Os patrões da United Artists chegaram mesmo a oferecer um milhão de dólares à atriz Jane Fonda para ela não recrutar Voight para o filme Coming Home (O Regresso dos Heróis, 1978) que a atriz produziu. O finca-pé de Fonda deu resultado e Voight foi premiado com o Óscar de Melhor Ator pela sua interpretação de Luke Martin, um veterano da guerra do Vietname que regressara tetraplégico e que é reinserido na sociedade com a ajuda de Sally (Fonda), com quem se envolve amorosamente. Em seguida, venceu o Globo de Ouro para Melhor Ator Dramático com a figura de um pugilista decadente em The Champ (O Campeão, 1979). A partir daí, tornou-se extremamente seletivo na escolha de papéis, só regressando a uma grande produção, em 1985, com Runaway Train (Comboio em Fuga), na pele de um condenado evadido, o que lhe valeu mais uma nomeação para o Óscar de Melhor Ator. Posteriormente, Voight tornou-se mais profícuo, com uma participação simbólica na série de culto Seinfeld (1991-98) e papéis secundários em filmes de ação como Heat (Cidade Sobre Pressão, 1995), Mission: Impossible (Missão Impossível, 1996), Anaconda (1997) e Lara Croft: Tomb Rider (2001), onde contracenou com a sua filha Angelina Jolie. Veio a obter mais uma nomeação para o Óscar, desta vez como ator secundário pela personificação do jornalista desportivo Howard Cosell em Ali (2001), apesar de a sua aparição no filme se restringir a apenas 15 minutos.
Como referenciar: Porto Editora – Jon Voight na Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora. [consult. 2021-06-19 12:26:13]. Disponível em