José Arantes

Político e governante, José Manuel Dantas Arantes Rodrigues nasceu em 1956.
Estudou no Liceu Camões, em Lisboa, onde foi companheiro de carteira de Durão Barroso, futuro primeiro-ministro de Portugal, de quem se tornou grande amigo.
Depois frequentou o curso de Economia da Universidade Católica, tendo sido um dos melhores alunos. Um dos seus professores foi Aníbal Cavaco Silva, também futuro primeiro-ministro de Portugal. Quando concluiu o curso, José Arantes ingressou na Radiotelevisão Portuguesa, onde aprendeu a ser jornalista. Especializou-se em assuntos económicos e a escrever textos para os colegas, já que preferia não aparecer em frente às câmaras.
Já em 1985, Cavaco Silva ascendeu ao poder e levou o seu antigo aluno de Economia para seu assessor de Imprensa. Arantes tornou-se então uma espécie de confidente e conselheiro do primeiro-ministro. Após dez anos como assessor de Cavaco Silva, em 1995, com a derrota do Partido Social Democrata nas eleições legislativas, regressou à RTP para voltar a escrever notícias. No entanto, a administração do canal estatal de televisão resolveu aproveitar o capital de conhecimento que José Arantes, entretanto, adquiriu e convidou-o para a divisão de Relações Internacionais da RTP. A sua função era a de negociar os contratos da RTP Internacional e da RTP África e orientar a expansão dos canais portugueses no Canadá e no Brasil.
Paralelamente, tirou uma pós-graduação em Ciências Políticas na Universidade Católica.
O regresso à participação na vida política deu-se em 2000, altura em que começou a colaborar com Durão Barroso, após este vencer o Congresso de Viseu que o levou à liderança do PSD. Dois anos depois tirou férias na RTP para poder ajudar Durão Barroso na campanha eleitoral para as eleições legislativas de 2002.
O PSD viria a ganhar o sufrágio e Durão Barroso formou governo. Para o seu velho amigo de liceu reservou o cargo de assessor político. José Arantes desempenhou esta função durante um ano.
A 8 de abril de 2003, no âmbito de uma remodelação governamental, José Arantes foi empossado secretário de Estado-Adjunto do Primeiro-Ministro do XV Governo Constitucional, cargo que ocupou até julho de 2004, altura em que o primeiro-ministro saiu do Governo para se tornar presidente da Comissão Europeia.
Como referenciar: José Arantes in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-04-25 14:45:32]. Disponível na Internet: