José Marmelo e Silva

Escritor português nascido a 7 de maio de 1911, em Paul, na Serra da Estrela, e falecido a 11 de outubro de 1991, em Espinho. Frequentou o Seminário do Fundão, licenciou-se em Filologia Clássica e foi professor do ensino secundário. Colaborou em periódicos como O Diabo, Seara Nova e Presença, por vezes com o pseudónimo de Eduardo Moreno. Ficcionista que, por ter encontrado, como Vitorino Nemésio ou Faure da Rosa, uma estética própria num ponto de equilíbrio entre o psicologismo presencista e a preocupação social neorrealista, foi acolhido com suspeição pela crítica contemporânea. Só no fim do século XX começou a sair do limbo do esquecimento onde a sua obra fora colocada. Autor de um universo ficcional não muito extenso, mas dos mais conseguidos que a novelística da segunda metade do século XX oferece, a sua obra narrativa tem como problemática nodal o "desejo de libertação do indivíduo (do seu corpo tanto como do seu espírito) em relação aos fantasmas interiores que o obsidiam tanto como às circunstâncias de retenção que social e economicamente lhe limitam o alcance da existência" (SEIXO, Maria Alzira - "Figurações da Noite e do Dia" - Adolescente Agrilhoado, de José Marmelo e Silva, prefácio à 4.a edição, Lisboa, 1987).
Como referenciar: José Marmelo e Silva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-05-26 22:05:33]. Disponível na Internet: