Josefina Silva

Atriz de teatro e cinema português, que também assinou alguns dos seus trabalhos como Josefina Barco, nasceu a 10 de janeiro de 1898, em Lisboa, e faleceu a 18 de fevereiro de 1993. Filha de um cantor lírico, estreou-se no teatro, com a peça A Casa de Bonecas de Ibsen, e, aos 15 anos, era corista do Teatro S. Luís, tendo depois sido corista-bailarina. Aos 22 anos, casou com António Silva, o inesquecível ator que protagonizou muitos dos melhores filmes de uma época de ouro do cinema português, tendo ambos participado numa grande digressão pelo Brasil entre 1914 e 1921. Em 1964, recebeu o Prémio Lucília Simões, dedicado à melhor atriz do ano pela sua participação na peça Divinas Palavras, de Vale-Inclán. Durante muitos anos, fez parte do elenco do Teatro Nacional. Deu os seus primeiros passos no cinema com o filme Convém Martelar (1920), a que se seguiram Lisboa (1930), Camões (1946), Quando o Mar Galgou a Terra (1954), O Noivo das Caldas (1956), Dois Dias no Paraíso (1957), Perdeu-se um Marido (1957), Sangue Toureiro (1958), Encontro com a Vida (1960), Um Dia de Vida (1962), Sarilho de Fraldas (1966), Os Touros de Mary Foster (1972), A Vida É Bela (1982) e O Vestido Cor de Fogo (1986).
Como referenciar: Josefina Silva in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-08 08:45:22]. Disponível na Internet: