Jules Romains

Escritor francês, nascido em 1885, em Saint-Julien-Chapteuil, perto da cidade de Puy, cujo verdadeiro nome era Louis Farigoule, ficou conhecido como criador do Unanimismo. Jules Romain conta que um dia de 1903, quando caminhava na rua, teve a intuição da existência de um ser elementar cuja alma recobria, sem as suprimir, as consciências individuais. É a esta alma que ele chama um "unanime", que pode ser suscitado por qualquer reunião de indivíduos, a cidade e, em último caso, toda a humanidade. Em 1908 aparece nas edições l'Abbaye a antologia La Vie Unanime, cuja sequência de poemas forma um todo. Os vinte e sete volumes de Hommes de Bonne Volonté descrevem a sociedade francesa de 1908 a 1933. Nesta obra não há um herói preciso, mas, seguindo a teoria do Unanimismo, o romancista narra acontecimentos da vida de numerosas pessoas que, ora se cruzam ora se afastam. É de citar a sua trilogia romanesca, Mort de Quelqu'un, Les Copains e Psyché. Após a Primeira Guerra Mundial, durante a qual foi mobilizado para prestar serviço auxiliar, Jules Romains passou a dedicar-se sobretudo ao teatro. Os anos de 1920-1930 viram nascer o triunfo de Knoch ou Le Triomphe de la Médecine, que o consagrariam como autor cómico e satírico.
Jules Romain faleceu em 1972.
Como referenciar: Jules Romains in Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2020. [consult. 2020-05-25 15:05:32]. Disponível na Internet: