Krzystof Kieslowski

Realizador polaco, Krzystof Kieslowski nasceu a 27 de junho de 1941 em Varsóvia e morreu a 13 de março de 1996, na mesma cidade, na sequência de uma operação para implantação de um pacemaker. Diplomou-se na Escola Superior de Cinema e Televisão de Lodz, tendo iniciado a sua atividade fílmica no documentário. Kieslowski tornou-se conhecido a partir de Dekalog, Piec (Não Matarás, 1988), Prémio Especial do Júri de Cannes em 1988. Trata-se de uma versão alargada de um episódio da série televisiva Decálogo, conjunto de ficções de cerca de uma hora filmadas por este realizador sobre os Dez Mandamentos. Refletindo sobre filmes como La Double Vie de Véronique (A Dupla Vida de Véronique, 1991) ou Trois Couleurs: Bleu (Azul, 1993), Trois Couleurs: Blanc (Branco, 1994) e Trois Couleurs: Rouge (Vermelho, 1994), António Cabrita faz notar como a sua unidade final é configurada através de repetições e coincidências, como se todos os objetos e circunstâncias nelas incluídos não fossem mais do que parcelas de «um todo que o humano não capta por estar submerso na rede das suas emoções». Com efeito, o universo kieslowskiano, apenas aparentemente minimal, é permeado pela noção de um sentido imanente que se inscreve nas evidências quotidianas. Neste sentido, Kieslowski afirma-se como o cineasta da solidão do ser no labirinto moderno das linhas de uma comunicação que apenas cifradamente se consuma.
Como referenciar: Krzystof Kieslowski in Artigos de apoio Infopédia [em linha]. Porto: Porto Editora, 2003-2019. [consult. 2019-12-13 22:08:06]. Disponível na Internet: